Garagem é ponto de discórdia

Já para o secretário adjunto de Planejamento Urbano, Leonardo Castro, o atual modelo de legislação é insustentável ao longo prazo porque incentiva a população a aumentar o número de carros

iG Minas Gerais | ludmila pizarro |

A proposta de diminuição da área para garagem nos novos imóveis divide opiniões. “Nós não temos transporte público de qualidade. Só ouvimos reclamação, mesmo com o Move. Por isso, a proposta da prefeitura é descabida. Vai é supervalorizar os imóveis com mais de uma vaga”, afirma Bráulio Franco Garcia, diretor da área imobiliária do Sinduscon-MG.  

Já para o secretário adjunto de Planejamento Urbano, Leonardo Castro, o atual modelo de legislação é insustentável ao longo prazo porque incentiva a população a aumentar o número de carros. “Precisamos diminuir a sobrecarga das ruas e diminuir a emissão de gases. Isso gera qualidade de vida”, afirma.

Para isso, o secretário propõe, junto com a alteração na lei, investimento em transporte público e a criação de centros urbanos que desafoguem o centro e induzam as pessoas a trabalhar e morar na mesma região, sem utilizar veículos motorizados. “Meu lema é resolver tudo a pé em até dez minutos”. Castro admite, porém, que esses projetos serão desenvolvidos após a mudança na legislação proposta. “O novo modelo deve incentivar essas mudanças posteriores.” explica. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave