Construtoras cortam vagas e situação pode piorar

Mercado imobiliário teme mudanças na legislação de BH

iG Minas Gerais | ludmila pizarro |

Visões opostas. Mercado e prefeitura apresentam formas diferentes de pensar a ocupação do solo
FOTOS: GUSTAVO ANDRADE / O TEMPO
Visões opostas. Mercado e prefeitura apresentam formas diferentes de pensar a ocupação do solo

O mercado de construção civil já começou a demitir em Belo Horizonte. No último mês de junho, foram 3.000 vagas a menos no setor em relação a maio na região metropolitana da capital, de acordo com os dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) do Dieese.

Para Bráulio Franco Garcia, diretor da área imobiliária do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), o mercado desde 2013 encontrou um “equilíbrio”, ou seja, não está crescendo como aconteceu entre 2007 e 2012. “A partir de 2013, passamos por um equilíbrio porque o mercado imobiliário é perene, mas não vemos mais o crescimento anterior”, diz. O declínio da arrecadação com o Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) também confirma a perda de fôlego do mercado imobiliário. Leia a matéria na íntegra em nossa edição digital.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave