Promessas aos trabalhadores

Na CUT, presidente disse que vai assegurar empregos, direitos trabalhistas e valorizará salário mínimo

iG Minas Gerais |

Sindicato. Dilma agradeceu o apoio da CUT à sua reeleição e se disse comprometida com os trabalhadores
Ichiro Guerra/PT
Sindicato. Dilma agradeceu o apoio da CUT à sua reeleição e se disse comprometida com os trabalhadores

SÃO PAULO. A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta que, se reeleita, vai assegurar a manutenção do emprego, os direitos dos trabalhadores e investirá na continuidade da valorização do salário mínimo. “Eu não fui eleita nem serei reeleita para reduzir salário de trabalhador. Eu não fui eleita nem serei reeleita para colocar o nosso país de joelhos. Eu não fui eleita nem serei reeleita para desempregar trabalhador”, disse, durante seu primeiro ato de campanha em São Paulo, na Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Guarulhos.  

Dilma agradeceu a formalização de apoio da CUT à sua reeleição e afirmou que, desde a adesão da central sindical em 2010, é “comprometida com os trabalhadores”. “Eu não traio meus princípios, não traio meus compromissos e não traio a minha parceria”, afirmou. A presidente disse que tem um compromisso com a valorização do salário mínimo e afirmou que essa política foi uma das responsáveis por reduzir a desigualdade no país.

O ato desta quinta teve o apoio da CUT, mas foi pago pela campanha petista. Dilma estava acompanhada do presidente nacional do PT, Rui Falcão, do coordenador de sua campanha em São Paulo, Luiz Marinho, do ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, do ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, e do candidato do PT ao governo do Estado, Alexandre Padilha.

DISCURSO PETISTA. Ainda na CUT, Dilma fez lembrar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao falar que, “assim como a esperança venceu o medo” na eleição do petista, nestas eleições, “a verdade tem de vencer o pessimismo”. “Passaram mais de dois anos falando que não ira ter Copa do Mundo, que ia dar errado”. “Até racionamento de energia eles contrataram”, completou. “E vimos que nada disso aconteceu”.

Segundo Dilma, líderes da oposição chegaram a dizer que a Copa deveria ser devolvida para a Fifa. “Vimos o contrário. A Copa deu certo, foi um sucesso”, repetiu. Para a presidente, “o povo brasileiro e o governo deram uma goleada nos pessimistas”. Dilma afirmou que quer repetir a “goleada” em outubro.

Debates. Na agenda de Dilma nas próximas semanas, devem constar pelo menos quatro debates diretos com os adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Segundo o coordenador de campanha e presidente nacional do PT, Rui Falcão, a petista, no entanto, não vai a todos os embates e deve focar principalmente nos encontros na TV.

Universal

Templo. A presidente Dilma Rousseff participou nesta quinta da inauguração de um templo da igreja Universal em São Paulo. Ela foi a única candidata à Presidência a comparecer ao evento.

PT quer reconquistar intelectuais Brasília. A campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff se preocupa agora com a área cultural, devido ao afastamento do PT de intelectuais e artistas, setor historicamente ligado ao partido. O comitê eleitoral da presidente prevê dificuldades e avalia que houve um “descuido” nos últimos anos. “Será bem mais difícil ter neste ano a área cultural, porque não cultivamos intelectuais e artistas”, afirmou um integrante da cúpula da campanha. A presidente prepara um ato no Rio de Janeiro para reconquistar a classe.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave