Região de Petrópolis é convidativa para a gastronomia

iG Minas Gerais |

acir galvao
undefined
Os encantos de Petrópolis têm a ver com a natureza exuberante da Mata Atlântica e o clima ameno de montanha. A proximidade da segunda metrópole e principal destino turístico do país, assim como a existência de um vasto e peculiar contingente de trabalhadores qualificados, potencializam esses atrativos naturais.  Foi o Imperador Pedro II que estimulou o ingresso de casais de imigrantes na região, na segunda metade do século XIX, com a observância de critérios aptos a assegurarem variedade de prestadores de serviços, para a comodidade da nobreza que subia a serra, fugindo do calor do Rio de Janeiro durante o verão. Itaipava, Correias, Nogueira e Araras, além da própria sede do município, hoje são frequentadas por turistas e sitiantes, reunindo comércio sofisticado de decoração de ambientes, artesanato, móveis e vestuário. Há opções de hospedagem e alimentação para todos os bolsos, mas a prevalência é de estabelecimentos classe A, que se espalham por estradinhas charmosas e se escondem detrás da bruma invernal.  Queríamos comer truta, e as Trutas do Rocio – a estrada homônima sai da 040, na pista sentido Rio – são um ótimo lugar para isso. Só que o bistrô de poucas mesas é frequentadíssimo; sem reserva antecipada, foi impossível.  Garanto-lhes que vale à pena, pela beleza da paisagem, a qualidade da comida e a elegância do ambiente.  Tivemos de partir para outra alternativa do tipo, o Afrânio, na estrada de Araras. Ao lado do português Oliveiras, onde se serve um cabrito à alentejana divino e bolinhos de bacalhau supimpas, o Afrânio exibe cardápio variado e internacional. As instalações surpreendem pela diversidade. A casa é ideal para a noite fria, salão aconchegante, amadeirado, com lareira. Dela se avista o salão completamente envidraçado, perfeito para uma tarde de luz filtrada pelas árvores. Mas o sol gostoso nos fez preferir uma das mesas no jardim. A companhia dos micos é divertida e se eles chegam perto demais são espantados por atentos e educadíssimos garçons. O ossobucco bovino com risoto à parmiggiana só não estava perfeito porque o osso veio fechado, sem tutano, negando a identidade do prato. Mas a carne e o arroz vieram deliciosos, suculentos e bem temperados e eu perdoei o erro. Outra ótima pedida são os camarões graúdos à bordalesa, flambados com conhaque, champanhe e cogumelos, guarnecidos de arroz de amêndoas. Já a entrada, bolinhos de mandioca com carne seca e molhinho de feijão, ambos insípidos, e a sobremesa de tiramisù sem café nem personalidade podiam ter sido evitados. Melhor optar pelo irrepreensível petit gâteau de chocolate com coulis de frutas vermelhas.  Dê uma conferida nos sites e também no tripadvisor para ver as fotos e cardápios dos restaurantes mencionados. Você verá que sua próxima ida ao Rio ou à região dos Lagos ficará ainda melhor se der uma parada estratégica de um ou dois dias na região de Petrópolis.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave