Saga de torcedor vale um abraço

O texto da preleção da final da Libertadores, gravado pelo jornalista Chico Pinheiro a pedido do técnico Cuca, também é de autoria de Gustavo Rogana

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

Na última quarta-feira, longe das câmeras, o atleticano Gustavo Rogana fez as honras de representante da Massa e prestou as últimas homenagens a Ronaldinho Gaúcho. O estudante de 18 anos foi um dos torcedores que o craque recebeu nas dependências do CT alvinegro.

Gustavo levou dois pen drives, um com um texto de despedida, outro com um vídeo de 180 “obrigados”, reunidos graças a uma campanha nas redes sociais e à edição do amigo Bernardo Papini. “Foi o dia mais feliz da minha vida ao lado da final da Libertadores”, disse o torcedor.

Mas a história não se limita à entrada na Cidade do Galo para dar um abraço no ídolo. Para receber o privilégio, o torcedor precisou “se apresentar” a Assis, irmão e empresário de R10.

Na última segunda-feira, quando o estudante soube que Assis e o presidente Alexandre Kalil discutiam o futuro de Ronaldinho em um restaurante da capital, Gustavo não titubeou e foi para lá abordar o empresário.

Era a oportunidade que ele tinha para contar que foi um dos torcedores que ajudaram a impulsionar a campanha de apoio a dona Miguelina, mãe dos irmãos Moreira, que passou por um tratamento contra o câncer.

O texto da preleção da final da Libertadores, gravado pelo jornalista Chico Pinheiro a pedido do técnico Cuca, também é de autoria de Gustavo Rogana. “Fiquei sabendo o que fez, muito obrigado”, agradeceu Ronaldinho ao recebê-lo. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave