Mesmo com forte concorrência, Marquinhos mantém titularidade

Lesões de Dagoberto e Alisson e término do contrato de Willian "abriram" espaço para avante, que está sabendo aproveitar

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

MG - BRASILEIRÃO/CRUZEIRO E FIGUEIRENSE - ESPORTES
Cruzeiro recebe o Figueirense em partida válida pela 12ª segunda rodada do Campeonato Brasileiro 2014, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte, neste sábado.
Na foto: Marquinhos

FOTO: Douglas Magno/O TEMPO/26.07.2014
douglas magno
MG - BRASILEIRÃO/CRUZEIRO E FIGUEIRENSE - ESPORTES Cruzeiro recebe o Figueirense em partida válida pela 12ª segunda rodada do Campeonato Brasileiro 2014, no estádio Mineirão, em Belo Horizonte, neste sábado. Na foto: Marquinhos FOTO: Douglas Magno/O TEMPO/26.07.2014

O atacante Marquinhos chegou ao Cruzeiro sabendo que não teria vida fácil na luta por uma vaga entre os titulares da Raposa. A qualidade e a quantidade de atletas cruzeirenses que atuam pelo setor ofensivo deixam a disputa cada vez mais acirrada.

Porém, como todo baiano que veste a camisa estrelada, o recém-chegado ao clube também tem contado com um pouco de “sorte”. Contratado no fim de maio, o atleta veio para compor o grupo e buscar espaço.

Entretanto, com a lesão de Alisson, que vinha sendo o titular na intertemporada nos Estados Unidos, com o fim do contrato de Willian e com a recuperação médica e física de Dagoberto, o camisa 34 entrou na equipe e não saiu mais.

Depois de uma atuação discreta contra o Vitória, o atleta deslanchou. Ele deu duas assistências contra o Palmeiras, no triunfo estrelado por 2 a 1, no Pacamebu, e marcou um golaço contra o Figueirense, na goleada por 5 a 0.

Marquinhos disse que já veio para o clube sabendo da ampla concorrência. “Muitas pessoas falaram  comigo que não ia ser fácil, mas temos que fazer o nosso papel pra poder estar dentro da equipe. A gente sabe que da concorrência, que é difícil pra jogar. Mas o legal é que todos se gostam. Aprendi a gostar e a brincar com todos”, declarou.

O jogador se diz satisfeito por jogar com tantos jogadores qualificados. “Fico feliz por ter esses companheiros, como o Willian, o Alisson e com os outros que estão buscando o seu espaço. É uma disputa saudável, com todo mundo buscando o seu espaço. Isso é bom para o Marcelo Oliveira e bom para o Cruzeiro”, concluiu.

Leia tudo sobre: CruzeiroRaposamarquinhosconcorrenciatitularidadebaiano