Copa melhora nível de emprego em Belo Horizonte

Encontraram trabalho no mês de junho 21 mil pessoas

iG Minas Gerais | Janine Horta |

Vinte e uma mil pessoas que estavam sem trabalho em maio conseguiram emprego em junho na região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) – um aumento de 0,9%, diz a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada nesta quarta. A taxa de desemprego caiu de 8,1% em maio para 7,8% em junho.  

O estudo é divulgado mensalmente pela Fundação João Pinheiro, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese).

De acordo com a coordenadora da pesquisa pelo Dieese, Gabrielle Selani, pode-se falar em relativa estabilidade no nível de emprego, mesmo se comparado ao resultado de junho do ano passado, em que a taxa de desemprego foi de 6,7%, fazendo com que junho deste ano tivesse 27 mil pessoas a menos trabalhando que no mesmo período do ano passado – uma queda de 1,2%. “Olhando para toda a série histórica, desde que começou a pesquisa, em 1996, observamos um nível maior de desemprego nos dois primeiros trimestres do ano com lenta recuperação até os dois últimos trimestres, quando há uma retomada no emprego. As contratações de fim de ano e o 13° salário devem reaquecer o mercado de trabalho”, analisa a coordenadora.

Comércio. O comércio, as oficinas mecânicas e o setor de serviços são os responsáveis por “segurar” os níveis de emprego em um patamar de estabilidade. O emprego no comércio e nas oficinas cresceu 2,5% em junho em relação a maio e 3,2% em relação ao ano passado. Já o setor de serviços cresceu 2,4% em junho em relação a maio e 0,1% em relação ao ano passado.

Na indústria, o mês de junho teve queda de 4,3% nas vagas de emprego em relação a maio e 8,3% em relação ao ano passado. O setor de construção perdeu 1,4% das vagas em junho em relação a maio e 5,5% em junho em relação ao mesmo período do ano passado.

Copa. “A Copa do Mundo foi responsável pelo crescimento do emprego em Belo Horizonte em junho, gerando trabalho com e sem carteira assinada”, diz a economista da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Ana Paula Bastos. As pessoas investiram na venda de artigos como enfeites e camisas do Brasil, por exemplo. Bares, restaurantes e o transporte relacionado ao evento também impulsionaram os negócios.

Renda do trabalhador está maior Apesar de as taxas de desemprego de junho estarem piores que as do ano passado – 7,8% em 2014 contra 6,7% em 2013 –, a coordenadora da pesquisa pelo Dieese, Gabrielle Selani, ressalta uma melhora nos rendimentos do trabalhador, que aumentaram 12,3% em relação a maio de 2013, indo de R$ 1.732 para R$ 1.944. “Se os números da economia não estão bons, mas há melhora na renda do trabalhador, não podemos ainda falar de crise, e sim numa acomodação do mercado do país”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave