Apicultor denuncia produto falsificado

Ele diz que as pessoas fazem confusão pensando que, se cristaliza, é falsificado. E é justamente o contrário

iG Minas Gerais | Janine Horta |

Todo fim de semana, o geógrafo e apicultor Carlos Antônio de Lima vai de Belo Horizonte para Pará de Minas, onde cuida de 60 colmeias. Com 29 anos de experiência e atuando como fornecedor de mel da Cooperativa Nacional de Apicultura (Conap), ele denuncia que há mel falsificado na praça, especialmente os que são vendidos em garrafas na beira de estradas ou na rua.  

Ele explica que praticamente todo mel puro cristaliza. “O único que não cristaliza imediatamente é o de aroeira, mas, se colocarmos na geladeira, cristaliza também”, diz.

Ele diz que as pessoas fazem confusão pensando que, se cristaliza, é falsificado. E é justamente o contrário. “Coloque esse mel vendido em garrafas de vidro na geladeira. Nunca cristaliza, porque não é mel”, alerta. “Colocam os vidros na calçada e dizem que o mel é da roça, puro. Dizem que é diferente porque é de abelha Jataí. Mas Jataí não produz em quantidade que se possa engarrafar”, conclui. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave