Consumidores terão que arcar com os prejuízos

A diretora da Tia Eliane Turismo, Eliane Boechat, disse que só recebeu o comunicado na tarde desta quarta

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

Os consumidores com viagem marcada e que dependiam apenas da emissão do visto norte-americano devem entrar em contato com as agências de turismo, conforme sugere a coordenadora institucional da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), Maria Inês Dolci.

“Como não é um cancelamento ou adiamento por mera vontade do consumidor, uma alternativa é deixar a data da viagem em aberto, e tão logo se resolva o problema, faça a remarcação. No caso das agências, elas podem dar algumas alternativas para os consumidores: adiar a data ou trocar o destino. Mesmo assim, o consumidor vai ter que arcar com a multa e as diferenças nas tarifas”, explica. As agências de turismo procuradas pelo O TEMPO disseram que ainda não registraram nenhum tipo de problema ou cancelamento por parte dos clientes. De acordo com nota enviada pela assessoria de imprensa da CVC, como “os clientes que embarcam para o exterior programam a viagem com bastante antecedência (no mínimo seis meses), aqueles que viajarão nas próximas semanas já possuem a documentação necessária”. A diretora da Tia Eliane Turismo, Eliane Boechat, disse que só recebeu o comunicado na tarde desta quarta. “Esperamos que não afete a nossa próxima temporada de passageiros em outubro, dezembro e janeiro”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave