Placas ainda estão instaladas

Sinalização continua em rodovias federais, avenidas e Anel Rodoviário, conforme flagrou O TEMPO

iG Minas Gerais | andré santos |

Defasagem. No Anel Rodoviário da capital, placas permanecem na altura dos bairros Buritis (<CF51>foto</CF>), Vila Oeste e em vários outros trechos
douglas magno
Defasagem. No Anel Rodoviário da capital, placas permanecem na altura dos bairros Buritis (foto), Vila Oeste e em vários outros trechos

Dezoito dias após o término da Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, ainda há rastros da maior festa do futebol mundial em Belo Horizonte, uma das cidades-sede do evento. Após percorrer diversas avenidas e corredores expressos da capital mineira, a reportagem de O TEMPO constatou que muitas das placas instaladas especialmente para orientar os turistas que visitavam a cidade durante o Mundial ainda continuam lá, como se o evento estivesse acontecendo, aumentando a poluição visual.

A maioria das placas indica os caminhos a serem percorridos até dois pontos da cidade: o Estádio Governador Magalhães Pinto – mais conhecido como “Mineirão” –, na região da Pampulha, e a Fifa Fan Fest, espaço de entretenimento que funcionou durante a Copa do Mundo em um dos pavilhões do Expominas, na Gameleira, na região Oeste.

Os rastros da Copa do Mundo podem ser percebidos logo em uma das entradas do município. No entroncamento das rodovias BR–040 e BR–356, na altura do bairro Olhos D’Água, na região do Barreiro, já é possível ver placas indicando o caminho para chegar à Fifa Fan Fest. Ainda na BR–356, já na altura do BH Shopping, no bairro Belvedere, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, outra placa permanece instalada para ajudar motoristas a chegarem a um evento que não será é mais realizado na cidade.

Nas proximidades do Expominas, uma placa na avenida Amazonas relembra que o centro de convenções foi palco da festa montada pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) e pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) especialmente para a Copa.

As placas também continuam instaladas em boa parte do Anel Rodoviário. Já no acesso à rodovia, no bairro Olhos D’Água, os motoristas se deparam com a sinalização indicativa. Logo depois, na altura do bairro Buritis, na região Oeste, os motoristas que seguem no sentido Vitória (ES) continuam a receber orientações de como chegar aos dois locais.

A cena se repete em outros quatro pontos da via – no bairro Betânia, na região Oeste da cidade; no entroncamento do Anel Rodoviário com a avenida Amazonas, na mesma região; no acesso à Via Expressa, na altura da Vila Oeste, na região Noroeste; e na alça que liga o Anel à BR–040, na altura do bairro Alto dos Pinheiros, também nesta região. Em todas as placas, estão indicados tanto o itinerário para o estádio como o caminho para o evento da Fifa.

Retirada. Na avenida Antônio Carlos, principal via de ligação entre a região Centro-Sul da capital e a Pampulha – onde fica o Mineirão –, as placas fazem parte do passado. No entanto, até o início desta semana ainda era possível ver indicações de vias exclusivas para tráfego de delegações, seleções e veículos credenciados na Fifa.

O panorama acontece nas proximidades do Mineirão, onde as placas que indicavam a localização do estádio foram retiradas.

Percurso

Vias. A reportagem de O TEMPO percorreu nesta quarta a Via Expressa, as avenidas Tereza Cristina, Amazonas e Antônio Carlos, o Anel Rodoviário no sentido Vitória (ES), e trechos das BR–356 e BR–040.

BHTrans informa que retirada será gradativa Procurada por O TEMPO, a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) informou, por meio de assessoria, que 80 placas foram instaladas especialmente para a Copa do Mundo de 2014 nas ruas e avenidas onde a autarquia tem jurisdição. A empresa municipal informou ainda que a retirada das placas começou na semana passada e será feita de maneira gradativa. A responsabilidade pela retirada das placas no Anel Rodoviário – local onde a reportagem constatou maior concentração de sinalização ligada ao evento – é do Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais (DER/MG). A assessoria do órgão não informou qual é a previsão para o início da retirada das placas e quanto tempo vai durar a operação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave