Bandidos que roubaram Fenacouro em maio são presos pela PC

Durante investigação, Polícia Civil descobriu que bando atuava principalmente com roubo e adulteração de veículos

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Sede da empresa ficava às margens da Via Expressa, que se tornou rota de fuga dos assaltantes
Reprodução/Google Street View
Sede da empresa ficava às margens da Via Expressa, que se tornou rota de fuga dos assaltantes

Após iniciarem uma investigação em torno de um assalto ocorrido na sede da Feira de Malhas & Couros (Fenacouro), em maio deste ano, a Polícia Civil conseguiu desmantelar uma quadrilha especializada principalmente em roubos, furtos e clonagem de veículos na capital mineira. 

Segundo as informações da corporação, a investigação da 3ª Delegacia Especializada em Repressão à Organização Criminosa. (Deroc) teve início no dia 20 de maio, quando a sede da empresa foi invadida por três homens que se passaram por policiais civis e fugiram levando mais de R$ 350 mil e o veículo do proprietário da empresa. 

Pouco tempo após o assalto, o Land Rover do dono da Fenacourou foi recuperado e, a partir disso, os policiais passaram a ter maiores detalhes sobre os suspeitos. Ao longo da investigação, os policiais identificaram que a quadrilha, na verdade, atuava principalmente roubo e furto de veículos, adulteração dos mesmos, receptação de produtos roubados, falsificação de documentos públicos e até mesmo tentativa de homicídio. 

Foram presos Arasmino Pereira dos Santos, mais conhecido como "Chumbrega", Pablo de Oliveira Couto, o "Popó",  de 26 anos, Moisés da Silva Souto, o "Mói", também de 26, Victor de Lima Prates, o "Vitinho", de 25, Kyensley de Paula Ribeiro, o "Lorinho", de 21, e Bruno Alex da Costa Ferreira, de 28.

Com os suspeitos foram apreendidos com a quadrilha 9 carros clonados e uma Ford Ranger com queixa de furto. Entre os veículos adulterados estavam uma BMW Z4 branca, uma Fiat Strada verde, um Fiat Palio prata, um Ford Fiesta prata, um Fiat Uno Way preto, um Fiat Uno cinza, um Fiat Uno prata, um Ford Ecosport prata e um Chevrolet Astra prata.

A organização 

Conforme a PC, Arismino era o responsável por orquestar e realizar os roubos de veículos, enquanto Pablo, Moisés e Kyensley praticavam os crimes. Já Vitinho era o responsável pela receptação da quadrilha, adulteração dos veículos, obtenção dos documentos falsos e a venda dos veiculos clonados.

Além de praticar os roubos, Kyensley auxiliava o Victor na adulteração e era também responsável por furtar veículos fazendo a retirada da centralina, que é uma peça que faz com que o carro só atenda aos comandos de uma chave codificada. Já Bruno era responsável por receptar e vender os veículos clonados pela quadrilha.

Leia tudo sobre: LADRÕESFENACOUROASSALTOQUADRILHABANCOCARROSCENTRALINAVEÍCULOSCLONADOSPRESOSPOLÍCIA CIVIL