Magnano convoca quatro e agora terá que fazer dois cortes

Técnico da seleção brasileira chamou os armadores Raulzinho e Rafael Luz e os pivôs Rafael Hettsheimeir e Cristiano Felício

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Argentino Rúben Magnano comanda seleção brasileira masculina de basquete em luta por vaga no Mundial
CBB/Divulgação
Argentino Rúben Magnano comanda seleção brasileira masculina de basquete em luta por vaga no Mundial

Se antes o técnico da seleção masculina de basquete poderia incluir dois atletas ao grupo de 10 que treinava com ele para o Mundial da Espanha, agora Rubén Magnano precisa fazer cortes. Afinal, depois da disputa do Campeonato Sul-Americano, o argentino convocou quatro jogadores que participaram da conquista da medalha de bronze na Venezuela. Foram chamados por Magnano os armadores Raulzinho e Rafael Luz e os pivôs Rafael Hettsheimeir e Cristiano Felício. Desta forma, ele mantém exatamente a mesma base que foi à Olimpíada de Londres, em 2012. Dos 12 inscritos na ocasião, 11 estão no grupo desta vez. O único ausente é Caio Torres, que foi aos Jogos no lugar de Rafael Hettsheimeir, então machucado. Além disso, Mangnano reabre a disputa entre Rafael Luz e Raulzinho pelo posto de terceiro armador do elenco. Os foram bem no Pré-Olímpico de 2011, mas Raulzinho foi quem ficou com a vaga no time olímpico.  Com 14 jogadores à disposição para um torneio amistoso no Maracanãzinho a partir desta quinta-feira, Magnano tem que fazer dois cortes para levar 12 atletas ao Mundial da Espanha. Ele pode tirar da lista inclusive algum dos 10 jogadores da lista inicial, mas dificilmente ele deixará de fora da competição a sua base formada por Marcelinho Huertas, Larry Taylor (armadores), Alex, Leandrinho (alas-armadores), Marquinhos, Marcelinho Machado (alas), Nenê, Tiago Splitter, Anderes Varejão e Guilherme Giovannoni (pivôs). O Brasil decepcionou no Sul-Americano, encerrado segunda, na Venezuela, ao quase perder a disputa pelo terceiro lugar e correr risco de ficar fora dos Jogos Pan-Americanos do ano que vem. Rafael Mineiro, Vitor Benite e Augusto Lima estavam no elenco, mas já não têm mais chances de ir ao Mundial.

Leia tudo sobre: RonaldinhoFutebolesportesMagnano