Revitalização ainda só no papel

O Dnit não descarta adotar licitação por Regime Diferenciado de Concorrência (RDC)

iG Minas Gerais |

No Anel. Falta de guincho para veículos acidentados é um dos principais complicadores do trânsito
Lincon Zarbietti / O Tempo
No Anel. Falta de guincho para veículos acidentados é um dos principais complicadores do trânsito

Apesar dos serviços que passarão a ser ofertados pela Via 040, dentro da concessão da BR–040, a revitalização do Anel Rodoviário continua sem data para acontecer. A reforma é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), em parceria com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER–MG).  

O órgão estadual ficou com a tarefa de elaborar o projeto executivo da obra. Já foi concluída a parte do documento que contempla intervenções dos trechos mais críticos. Porém, em uma reunião no último dia 10, um desentendimento sobre qual dos dois órgãos ficaria responsável pela licitação e o modelo adotado pode atrasar as intervenções. O Dnit não descarta adotar licitação por Regime Diferenciado de Concorrência (RDC), e o DER–MG ponderou que, com isso, seria necessário refazer o projeto executivo.

“O Anel já deveria ter sido municipalizado. Ele é um problema para a cidade, e, enquanto fica esse imbróglio sobre quem faz a obra, o cidadão fica sem saber de quem cobrar”, criticou o especialista em trânsito Osias Batista.

Rodovias

Entroncamento. O Anel Rodoviário é formado pelo encontro das BRs 040, 262 e 381. O trecho que fará parte da concessão é a continuidade da BR– 040, que liga Brasília ao Rio de Janeiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave