Pela primeira vez, Brasil lidera ranking de cirurgias plásticas

Aumento de seios é o procedimento campeão, com 226 mil pedidos no país

iG Minas Gerais |

Genebra, Suíça. Pela primeira vez, o Brasil supera os Estados Unidos como o país com o maior número de cirurgias plásticas para fins estéticos no mundo. Em 2013, mais de 23 milhões de intervenções em todo o planeta foram realizadas, segundo um novo estudo publicado ontem pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, que reúne 2.700 membros em 95 países.

No momento em que a entidade se prepara para seu 22º Congresso, que será justamente no Rio de Janeiro, em setembro, o novo informe revela que o Brasil é o novo centro das atividades estéticas no mundo. No total, foram 1,49 milhão de cirurgias no ano passado no país, quase 13% do total mundial. Nos EUA, o total chegou a 1,45 milhão, contra 486 mil no México, que ocupa um distante terceiro lugar.

Preferências. O aumento de seios é a cirurgia mais popular no mundo, com 1,7 milhão de casos em 2013 e representando 15% de todas as intervenções. Nos EUA, foram 313 mil cirurgias desse tipo, contra 226 mil no Brasil.

No que se refere à cirurgia de nariz, porém, o Brasil é o primeiro colocado, com 77,2 mil casos em 2013. O México vem em segundo lugar, seguido pelos EUA e pelo Irã.

O Brasil também lidera nas cirurgias de abdômen. Foram 129 mil intervenções, 15% de tudo o que é realizado no mundo. Em segundo lugar vem os EUA, com 119 mil casos. O Brasil ainda ocupa o segundo no número de cirurgias de liposucção, reduzindo a acumulação de gordura. Foram 227 mil intervenções, contra 235 mil nos EUA.

Botox. Contando os procedimentos não-cirúrgicos, como o Botox, os norte-americanos ainda lideram o ranking mundial de ações estéticas, com 3,9 milhões de intervenções, contra 2,1 milhões no Brasil.

O país é também o segundo lugar do mundo com o maior número de cirurgiões plásticos, superado apenas pelos EUA. As mulheres são as que mais recorrem às operações estéticas, com 9,9 milhões de casos em 2013, 85% do total. Mas mais de 1,6 milhão de homens também passaram por cirurgias no ano passado.

Falsos médicos

Alerta. Nos EUA, muitas mulheres estão se submetendo a procedimentos e técnicas ilegais e arriscados para aumentar os bumbuns. Há relatos de falsos médicos que usam cimento e até supercola.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave