Calçada no entorno do metrô é desafio a pedestre

Além de mais estreita do que manda a lei, não há asfalto, e o lugar é tomado por lixo e animais

iG Minas Gerais | Camila Bastos |


Pedestres dizem que problemas os forçam a disputar espaço com carros
OSWALDO RAMOS
Pedestres dizem que problemas os forçam a disputar espaço com carros

Para os pedestres que circulam entre a estação Carlos Prates do metrô, no bairro de mesmo nome, e a avenida Tereza Cristina, na altura do viaduto Itamar Franco, na região Noroeste da capital, é preciso cuidado e paciência. Além de esburacado e cheio de entulho, em alguns pontos o passeio é tão estreito que as pessoas são obrigadas a passar pela rua. Em sua edição desta terça, O TEMPO mostrou que a prefeitura vem intensificando a fiscalização de calçadas irregulares – de janeiro a junho, foram 5.829 notificações a proprietários de imóveis, uma média de 32,2 por dia. Nesse caso, moradores reclamam que o poder público é omisso em um problema que já dura três anos. Em visita ao local, a reportagem encontrou pontos em que a calçada tinha cerca de 20 cm – o recomendado é 1,5 m para circulação. Por causa da quantidade de lixo no local, o cheiro é ruim, há insetos e ratos. Em alguns locais, a calçada é feita apenas com terra batida. “Quando chove, vira uma lama só, e a gente tem que ir para o meio da rua”, relata a operadora de telemarketing Maria Regina Assis. O empresário Marco Capetinga reclama de insegurança. “À noite é muito mal-iluminado, é uma rua muito perigosa, ainda mais porque passam muitas mulheres que trabalham aqui perto”, diz. Karen Karla da Sila, 29, também operadora de telemarketing, é uma delas. “Muitas colegas foram assaltadas nesta rua, agora eu só passo aqui de dia”. 

Saiba mais Legislação. Segundo a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, o proprietário do imóvel é responsável pela construção e manutenção da calçada. Responsabilidade. A Regional Noroeste e a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informaram não saber de quem é a responsabilidade pelo passeio, mas que o caso seria apurado. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave