Expectativas para Copa não foram atendidas para 66% dos comerciantes

Levantamento feito com 375 empresários mineiros apontou que a maior parte deles não ficou satisfeita com o movimento da Copa do Mundo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Uma pesquisa feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio MG) concluiu que para 66% dos comerciantes mineiros as expectativas formadas em torno da Copa do Mundo no brasil não foram atendidas. Para 43% dos 375 empresários ouvidos na pesquisa, feita em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL/MG) e a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/MG), as vendas diminuíram durante a realização do evento.

A pesquisa, que tratava sobre os impactos da Copa no comércio da Minas Gerais, apontou que cerca de 355 mil turistas estiveram na capital mineira, o que trouxe boas oportunidades de vendas de material esportivo, vestuário, calçados, eletrodomésticos, distribuidora de bebidas, açougue, supermercados, locadora de veículos, restaurantes, bares e hotéis.

Os levantamentos da Fecomércio apontam que 84,5% dos empresários acreditam que toda a movimentação entorno da Copa influenciou nas vendas, sendo apenas 46,1% sob a ótica positiva. Para 66,1% as expectativas não foram atendidas, e 43,2% identificou que as vendas diminuíram durante o período.

Entre os vários ramos que participaram da pesquisa, a hotelaria foi a que mais sofreu influência positiva, conforme reposta de 86,2% dos entrevistados do setor. Ainda com base nos dados do levantamento feito, os empresários não mediram esforços para incrementar as vendas. Do total, 25,5% dos comeciantes priorizaram as promoções, 22,8% em recursos que estimulavam a visibilidade do estabelecimento e 15,8% em ações de mídia.

Dias de jogos

A pesquisa ainda detectou que os movimentos na capital mineira foram maiores em dias de jogos no Mineirão e do Brasil. Os levantamentos apontaram que houve uma porcentagem de 46,7% de aumento nos dias com jogos na capital mineira e 37,6% quando a seleção brasileira entrava em campo.

Ao mesmo tempo, após a eliminação do Brasil para a Alemanha no Mineirão, com a derrota por 7 a 1, o movimento voltou a cair mesmo em dias jogos. Por exemplo, no dia da grande final do Copa, o aumento no movimento dos comércios foi de apenas 1%.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave