Há 20 anos, Brasil perdia Mussum

Antônio Carlos Bernardes Gomes morreu no dia 29 de julho de 1994, mas seus bordões e piadas continuam na boca do povo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Sambista. Livro foca, além do Mussum humorista, o homem de família e o sambista
Arquivo Rede Globo
Sambista. Livro foca, além do Mussum humorista, o homem de família e o sambista

Há exatos 20 anos, o Brasil perdia um dos seus principais humoristas. Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum, morreu no dia 29 de julho de 1994, mas seus bordões e piadas continuam na boca do povo.

Filho de uma empregada doméstica, Mussum nasceu em 1941 no Morro da Cachoeirinha, zona norte do Rio. Educado em um colégio interno e depois em um quartel, o comediante chegou a ser recruta da Aeronáutica antes de chegar aos palcos.

Frequentador das rodas de samba da Mangueira, Mussum começou sua carreira na música. Ele foi um dos fundadores d'Os Originais do Samba, onde tocava reco-reco.

Com o sucesso do grupo, ele conheceu celebridades da época, como Elis Regina, Elza Soares, Jair Rodrigues e o ator Grande Otelo - que o apelidou de Mussum.

A relação com Chico Anysio lhe incentivou a adotar seu linguajar próprio, colocando os 'is' nos finais das palavras. E em 1973, a convite de Dedé Santana e Renato Aragão, ele entra para Os Trapalhões e abandona a carreira na música. Com a trupe, Mussum encarna o famoso personagem boêmio e participa do programa de TV até sua morte, produzindo também mais quase 30 filmes e 10 discos do grupo.

Mesmo depois de sua morte, Mussum ainda mantém o sucesso através das gerações, principalmente com a internet, onde é personagem recorrente nos memes das redes sociais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave