Senador é acusado de agredir fotógrafo durante carreata no AM

Eduardo Braga (PMDB) teria descido do carro e dado uma 'gravata' em Joel Reis da Silva

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Candidato ao governo do Amazonas, o senador Eduardo Braga (PMDB) é acusado de agredir um fotógrafo durante carreata na região norte do Estado, no último domingo (27).

A acusação foi feita por Joel Reis da Silva, 22, que fotografou a passagem da caravana de Braga pela cidade de Maraã, a 632 km de Manaus.

Silva fez a denúncia ao Ministério Público Federal. Segundo relato dele, o senador desceu do carro, ao ver o fotógrafo, deu uma "gravata" em Silva e tentou tomar sua câmera fotográfica, perguntando "a mando de quem" ele registrava o evento.

Parte da cena foi registrada em um vídeo divulgado em sites locais e apresentado à Procuradoria. Ainda segundo a denúncia, o deputado federal e candidato à reeleição Sabino Castelo Branco (PTB), que também estava na comitiva, desceu do veículo e ameaçou o fotógrafo.

Em sua reclamação, Reis afirma que o deputado disse que "tomasse cuidado porque ele estava de olho, logo em seguida pôs a mão na cintura, ameaçando pegar uma arma de fogo".

Em seguida, o motorista da comitiva também se aproxima do grupo e tenta tomar a câmera fotográfica.

O fotógrafo também pediu à Procuradoria proteção por sua vida e disse temer represália, "uma vez que os denunciados são pessoas de muita influência no meio político do Estado".

Na denúncia, o fotógrafo afirma que "não estava a mando de ninguém". A reportagem tentou, mas não conseguiu falar com Silva.

OUTRO LADO

A assessoria de imprensa da coligação "Renovação e Experiência", da qual fazem parte o senador Eduardo Braga e o deputado Sabino Castelo Branco, afirma que não houve agressão ao fotógrafo, e sim uma "conversa".

De acordo com a assessoria, a suposta ameaça feita pelo deputado também não ocorreu. Em seu perfil no Facebook, o senador afirma que "decidiu tomar uma atitude" diante da "perseguição" contra servidores públicos simpatizantes de sua campanha.

De acordo com texto divulgado na página, durante caravana pelo interior do Amazonas no fim de semana, a comitiva de Braga "constatou que em todos os municípios havia uma pessoa filmando tudo e, principalmente, todos".

O objetivo, segundo o perfil do senador, seria "identificar servidores públicos simpatizantes à campanha de Eduardo Braga para 'justificar' futuras perseguições nas repartições e órgãos do governo e da prefeitura".

No texto atribuído a Braga, ele afirma: "Argumentei com ele [fotógrafo] o quanto essa prática de perseguição é injusta, pois cerceia a liberdade de expressão e de manifestação que os brasileiros tanto lutaram para conquistar no período da ditadura. Abracei ele e disse: 'Por que você não faz uma imagem nossa? Quem sabe assim você também será perseguido e perderá seu emprego".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave