Bernie Ecclestone tenta acordo milionário em caso de suborno

Acusações envolvem um pagamento de US$ 44 milhões (aproximadamente R$ 98 milhões) ao banqueiro Gerhard Gribkowsky

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Luca Bruno/Associated Press
undefined

Um tribunal alemão informou nesta terça-feira que o Ministério Público e os advogados de Bernie Ecclestone negociam um possível acordo para acabar com o julgamento contra o chefão da Fórmula 1 acusado de suborno em negociação que envolvia os direitos comerciais da categoria.

Ecclestone, de 83 anos, foi a julgamento em Munique em abril sob a acusação de suborno e incitamento ao abuso de confiança. As acusações envolvem um pagamento de US$ 44 milhões (aproximadamente R$ 98 milhões) ao banqueiro Gerhard Gribkowsky, que está cumprindo uma sentença de oito anos e meio de prisão por aceitar o dinheiro.

O dirigente diz que Gribkowsky o chantageou. A equipe jurídica de Ecclestone solicitou nesta terça-feira que o caso seja encerrado, citando uma suposta falta de evidências de que o chefão da Fórmula 1 é criminalmente responsável. Os advogados defendem que os danos causados ao banco alemão BayernLB, que a nome de Gribkowsky estava vendendo suas ações na Fórmula 1, não estavam evidentes, mas se ofereceram a pagar 25 milhões de euros (R$ 75 milhões).

O tribunal estadual de Munique disse que não está claro o quanto vai demorar as conversações entre os dois lados, em que um acordo milionário pode livrar Ecclestone do risco de ser preso.

Leia tudo sobre: fórmula 1ecclestonesubornocaso milionário