Mudança de tom sobre os reforços

Alexandre Kalil já deixou bem claro que não prometeu trazer mais jogadores para esta temporada

iG Minas Gerais | Fernando Almeida e Thiago Prata |

Elenco em foco. Grupo de jogadores já precisava de mais qualidade e ainda perdeu Ronaldinho, que não jogará mais pelo time alvinegro
JOAO GODINHO / O TEMPO
Elenco em foco. Grupo de jogadores já precisava de mais qualidade e ainda perdeu Ronaldinho, que não jogará mais pelo time alvinegro

A cada rodada do Brasileirão, o sonho do Atlético de levantar o troféu de campeão nacional vai ficando mais distante, com o arquirrival Cruzeiro se distanciando na ponta, enquanto o alvinegro segue no meio da tabela de classificação. A Massa clama por reforços, mas eles não chegam, e a frustração só aumenta. E quem um dia não via as contratações como prioridade, agora já pensa de outra forma.

O técnico Levir Culpi voltou ao clube no fim de abril e utilizou a excursão na China, em junho, para conhecer melhor o elenco. A princípio, o discurso do treinador era o de que a busca por atletas não era tão necessária. E foi reforçada após a conquista da Recopa. Mas, após o revés para o Sport, por 2 a 1, nesse domingo, ele mudou o tom. “Um time como o Atlético sempre tem que estar de olho no mercado. Alguém que não renda o suficiente, talvez sirva como possibilidade de troca”, disse. Mesmo com a saída de Ronaldinho, não deve haver reposição. Há menos de uma semana, o presidente Alexandre Kalil negou que o clube esteja mirando novas contratações. Uma das carências visíveis da equipe é a lateral esquerda, já que Emerson Conceição não vem dando conta do recado. Mas, curiosamente, Levir pensa diferente. “É satisfatório. Não tenho os números exatos, mas é um dos jogadores que mais acerta assistência”, disse. Segundo levantamento feito pela equipe de O TEMPO, Emerson tem uma assistência no Brasileiro, no confronto com o Vitória.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave