Em outras profissões, basta se formar e ter diploma para atuar

iG Minas Gerais | JANINE HORTA |

Média de aprovação é de 15%
OAB/divulgação
Média de aprovação é de 15%

Uma advogada, que prefere não ter o nome revelado, já está aprovada no exame da OAB e vê dois lados na projeto do senador Crivella, que pede a permissão para trabalhar para quem não teve ainda aprovação no exame.  

“Em todas as profissões basta se formar e obter o diploma para atuar. Se o curso superior em que o estudante se formou não é bom, cabe ao governo fiscalizar e até descredenciá-lo”, pondera a advogada mineira.

Ela continua: “Além disso, a existência do exame cria uma indústria dos cursinhos pois, com raras exceções, os advogados têm que estudar muito para serem aprovados, já que a prova traz a matéria do curso inteiro. Por outro lado, ao sermos obrigados a fazer a prova realizamos, ao final da faculdade, uma boa revisão de toda a matéria, o que é bom para nossa formação geral”.

Mas para a advogada, o projeto faz com que o bacharel em direito tenha as mesmas funções de um estagiário.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave