Brasileira Easy Taxi recebe mais R$ 90 milhões em investimentos

Segundo Tallis Gomes, fundador e co-presidente da empresa, o dinheiro deve ser usado para continuar o processo de expansão do negócio, que atualmente funciona em 32 países

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Easy Taxi.
 
Aplicativo é um dos mais populares no Brasil e poderá ser escolhido por fabricantes
INTERNET/REPRODUÇÃO
Easy Taxi. Aplicativo é um dos mais populares no Brasil e poderá ser escolhido por fabricantes

A Easy Taxi, empresa que criou aplicativo para chamada de táxis pelo smartphone, anunciou nesta segunda-feira (28) que recebeu uma nova rodada de investimentos, no valor de R$ 90 milhões.

Com isso, a empresa atinge a soma de R$ 145 milhões recebidos em quatro rodadas de investimentos em três anos de atividade. Os recursos vieram dos fundos de capital de risco Phenomen Ventures, da Rússia, e Tengelmann, da Alemanha.

Segundo Tallis Gomes, fundador e co-presidente da empresa, o dinheiro deve ser usado para continuar o processo de expansão do negócio, que atualmente funciona em 32 países:

"Neste momento teríamos duas opções: parar de investir e nos consolidar em países que já atuamos ou buscar mais recursos para expandir para novos mercados. Ficamos com a segunda." Ele diz acreditar que esta será a última vez que a empresa captará recursos de fundos de investimentos. A companhia deve começar a se concentrar em dar lucro e retorno aos investidores a partir de 2015, afirma.

Segundo Gomes, o investimento será destinado principalmente para permitir gastos com contratação de profissionais em novos mercados e marketing.

Na maioria dos países em que atua, a empresa fatura cobrando uma comissão dos taxistas por chamada de táxis recebida pelo smartphone. No Brasil, em que o mercado rumou para um modelo de não cobrar comissões, a companhia depende de serviços oferecidos a empresas e de pagamento de corridas pelo celular.

Participação

Os sucessivos aportes de recursos que a empresa recebeu implicam em diluição da participação dos fundadores da empresa no negócio, porém Gomes diz não se preocupar com isso, pois os investimentos permitem o crescimento da empresa.

"Há três anos, quando recebemos R$ 10 milhões, o valor da nossa empresa era bem menor. Para o segundo investimento já tinha se multiplicado por muitas vezes, o que continua acontecendo e faz valer a pena."

Até o momento, todos os investidores que adquiriram participação na empresa seguem no negócio. Entre eles destaca-se o fundo alemão Rocket Internet, primeiro a apostar na companhia. Este é o primeiro investimento dos fundos Phenomen Ventures e Tengelmann no Brasil.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave