Risco de descrença com atraso no pacto

iG Minas Gerais |

7Embora a criação de mais conselhos seja defendida pelo governo federal como uma forma de ampliar o diálogo com a sociedade e de atender as demandas populares, o ritmo lento do Planalto em atender as reivindicações da população pode aumentar a descrença em torno do decreto.

Dos cinco “pactos” apresentados por Dilma Rousseff no ano passado, vingou o da área da saúde, por meio da criação do programa Mais Médicos. Na época, a presidente prometeu medidas para a educação, mobilidade urbana, responsabilidade fiscal e reforma política, que ainda estão no papel.

O cientista político Moisés Augusto Gonçalves alerta para a possível descrença que pode surgir a partir de novas instâncias burocráticas, representadas pelos conselhos populares.

Dos “pactos” prometidos pelo governo, o mais atrasado é justamente a reforma política, que pode mudar a dinâmica dos Poderes no país. Em 2013, a presidente Dilma anunciou uma assembleia constituinte por plebiscito para mudar o sistema político.

A ideia, porém, foi abandonada, pois não haveria tempo hábil para se organizar uma consulta popular que afetasse a eleição de 2014. Um grupo interno formado na Câmara dos Deputados chegou a apresentar propostas de mudança, mas, na prática, nada ocorreu. (RG)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave