Antes de acerto, Willian revela tensão com negociações por renovação

Meia-atacante terá de brigar novamente para retomar a sua vaga como titular na equipe do Cruzeiro

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE |

Foram 12 dias entre o término do contrato do atacante Willian e o acerto da compra de seus direitos federativos pelo Cruzeiro, neste sábado. O jogador, com autorização do Metalist, da Ucrânia, treinava em separado e vivia a expectativa de sacramentar a sua permanência no Cruzeiro.

Porém, durante todo esse tempo, o atleta revelou que, no início, foi difícil conviver com a incerteza do acerto e até com a possibilidade de ter que se apresentar na Ucrânia, local que passa por grandes problemas políticos. A dificuldade do clube mineiro estava em acertar a forma de pagamento com o presidente e dono do Metalist, uma vez que ele é considerado foragido em seu país.

“Foi difícil no começo. Todos sabem da situação do país, que vem se agravando cada vez mais. Eu já tinha acertado um acordo com o Cruzeiro. E quando estávamos nos Estados Unidos, o Cruzeiro e o Metalist também chegaram a um acordo, o que me trouxe uma segurança maior (de permanecer)”, disse.

“Chegou um ponto que entreguei nas mãos de Deus, que capacitou o Alexandre (Mattos), o advogado do clube (que ajudou nas negociações), e os meus empresários na negociação. Chegou em determinado momento, eu nem ligava mais para ninguém para saber como andavam as negociações. Só focava nos treinamentos e buscava dar o meu melhor. Graças a Deus, no fim deu tudo certo”, declarou o jogador.

Leia tudo sobre: cruzeiroraposawilliamrenovacao