Ford Ka é completamente reformulado e fica maior

Hatch ganha geração inteiramente nova, com plataforma do New Fiesta e novíssimo motor 1.0 de três cilindros

iG Minas Gerais | Alexandre Carneiro |

Espaço. O porta-malas do novo compacto é menor que o de alguns concorrentes diretos, com 257 l
Fotos Ford/Divulgação
Espaço. O porta-malas do novo compacto é menor que o de alguns concorrentes diretos, com 257 l
Porto Feliz. Esqueça tudo que você sabia sobre o Ford Ka. O hatch chega à linha 2015 totalmente renovado, e não pense que as mudanças são apenas cosméticas ou superficiais: trata-se de um carro inteiramente novo, projetado do zero, inclusive na parte mecânica. A primeira mudança diz respeito ao tamanho. O modelo cresceu em todas as dimensões: ficou mais comprido (atingindo 3,89 m), mais largo (1,69 m) e, principalmente, mais alto (1,52 m). A grande distância entre eixos (de 2,49 m) evidencia os ganhos nas medidas internas. Mais espaçoso, principalmente no banco traseiro, o modelo comporta quatro adultos com conforto. Com cinco a bordo, não há muita folga, mas nem assim a atmosfera será de aperto. Por fim, o novo Ka será oferecido apenas com carroceria de quatro portas. Até agora, ele sempre havia sido comercializado unicamente com duas portas. O motor é inédito no Brasil. Seguindo a tendência iniciada por Hyundai HB20 e Volkswagen up!, o 1.0 do novo Ka tem apenas três cilindros. O cabeçote, de 12 válvulas, porém, traz comandos variáveis também nas de escape, além de nas de admissão. A correia dentada é imersa em óleo e, segundo o fabricante, não necessita de substituição, pois a durabilidade é semelhante à do próprio propulsor. Por fim, o sistema flex eletrônico dispensa o tanquinho de partida a frio. O resultado de tanta tecnologia é o 1.0 aspirado mais potente do mercado nacional, com 85 cv entre 6.300 e 6.500 rpm e 10,7 kgfm de torque a 4.500 rpm, com etanol. Abastecido com gasolina, os valores são de 80 cv de 6.300 rpm a 6.500 rpm e 10,2 kgfm a 3.500 rpm. O câmbio é sempre manual de cinco marchas. A Ford afirma que não tem planos de equipar o Ka com a transmissão automatizada de dupla embreagem Powershift. Futuramente, porém, ainda em data indefinida, o hatch terá a opção de motor 1.5 16V. Impressões. O Carro&Cia teve um breve contato com o novo Ka em um percurso de cerca de 40 km. As primeiras impressões foram positivas: ele fez jus à potência e ao torque do propulsor, com acelerações e retomadas de velocidade boas para um hatch 1.0. A suspensão, com acerto mais rígido, proporcionou muita estabilidade em curvas, mas transmitiu as imperfeições do piso ao habitáculo. O câmbio também agradou, com engates macios e precisos. A relação das marchas é mais longa que o habitual em veículos de baixa cilindrada, o que traz o benefício de baixar as rotações do motor em alta velocidade: a 100 km/h, o tacômetro registra 3.350 rpm.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave