Suspeitos de promoverem ataques terroristas no Egito serão julgados

Segundo a promotoria, os réus fazem parte do grupo Ajnad Misr, que começou a promover ataques após o golpe militar que derrubou o presidente islâmico Mohammed Morsi, em julho do ano passado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O promotor-chefe do Egito, Hisham Barakat, denunciou neste sábado (26) 20 suspeitos de promoverem ataques terroristas que mataram sete pessoas e deixaram mais de 100 feridos, em meio a novas batalhas entre insurgentes e soldados na Península do Sinai. Segundo a promotoria, os réus fazem parte do grupo Ajnad Misr, que começou a promover ataques após o golpe militar que derrubou o presidente islâmico Mohammed Morsi, em julho do ano passado.

Dos 20 suspeitos, 14 estão presos e os outros seis continuam foragidos. O Ajnad Misr assumiu a autoria de diversos atentados desde novembro do ano passado, incluindo um ataque na porta de um palácio presidencial.

Enquanto isso, neste sábado soldados mataram 12 supostos militantes e prenderam outros 11 na região do Sinai, segundo informou o general de brigada Mohammed Samir, que é porta-voz militar. Durante o combate, os insurgentes teriam disparado foguetes que destruíram casas de civis na cidade de Sheikh Zuwayed, matando sete pessoas e deixando outras 14 feridas. Fonte: Associated Press.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave