Escoras podem manter alça em pé

A polícia investiga quando as escoras da alça que caiu foram retiradas

iG Minas Gerais | Bernardo Miranda e Joana Suarez |

Apesar da Cowan afirmar que o escoramento que ela mesmo fez não é suficiente para manter a alça que restou do viaduto Batalha dos Guararapes de pé, técnicos especializados garantem que é possível estabilizar a estrutura, independentemente da forma de movimentação.

No início desta semana, a construtora informou à reportagem de O TEMPO que mesmo escorado, o viaduto poderia cair a qualquer momento, porque as escoras evitariam apenas o movimento vertical da estrutura, e não um deslocamento lateral. Porém, na avaliação de Aloísio Souza, técnico de empresa especializada em escoras, é possível prever e evitar qualquer tipo de movimentação de uma edificação. “São feitos cálculos vetoriais, que demonstram os riscos daquela estrutura cair e para qual direção. Assim, é plenamente possível fazer o escoramento para evitar inclusive o deslocamento lateral” afirmou. O engenheiro José Bento Teixeira destaca que estruturas de concreto não costumam ter movimentação lateral. “Estranho se dizer que não é possível estabilizar uma estrutura já enrijecida. Quando se escorou para colocar o concreto ainda mole, a estabilidade era bem menor e foi possível”. 

Retiradas Decisivo. A polícia investiga quando as escoras da alça que caiu foram retiradas. Conforme especialistas, nesse momento era possível perceber se houve movimentação anormal do viaduto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave