Pimentel não inclui Dilma em jingle e causa mal-estar no PT

Candidatos de outros quatro Estados fazem referência à presidente e a Lula nas músicas

iG Minas Gerais |

Camarada. Amigo desde adolescência da presidente. Pimentel foi ministro bastante próximo de Dilma
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Camarada. Amigo desde adolescência da presidente. Pimentel foi ministro bastante próximo de Dilma

Brasília. Líder nas últimas pesquisas de intenção de voto em Minas, o candidato ao governo do PT, Fernando Pimentel, ignorou em seu jingle de campanha o ex-presidente Lula e sua sucessora, a presidente Dilma Rousseff. A omissão irritou petistas ligados à presidente, que veem na estratégia uma tentativa de se descolar da candidata em uma região onde Aécio Neves (PSDB) tem vantagem sobre a petista.  

Na avaliação de assessores da campanha dilmista, é uma tentativa de um “Pimentécio” velado. A música, que repete o refrão “sou mineiro, brasileiro com amor, sou Pimentel, ele é meu governador”, diz que o candidato foi um “grande ministro”, sem citar de qual governo nem de que pasta.

Pimentel foi nomeado por Dilma como titular do Ministério do Desenvolvimento e Indústria assim que ela se elegeu, em 2011, e deixou o cargo no começo deste ano para disputar o governo de Minas.

Amigo desde a adolescência da presidente, Pimentel era um dos ministros mais próximos da petista.

Outros candidatos petistas como Gleisi Hoffmann (PR), Rui Costa (BA), Wellington Dias (PI) e Alexandre Padilha (SP) citam Dilma e Lula em seus jingles.

No caso do candidato ao Piauí, por exemplo, “Dilma presidente e Lula junto com a gente” é repetido por quatro vezes. No jingle de Gleisi, que foi ministra da Casa Civil, a música diz que “com Lula e Dilma o Brasil mudou” e a de Padilha diz que o candidato é “de Lula e Dilma”. O material do candidato na Bahia diz “Com Rui governador e Dilma presidente”.

Petistas ouvidos pela reportagem lembram que a “infidelidade eleitoral” ocorreu em outras eleições em Minas. Em 2002 e 2006, Aécio encampou o “Lulécio”, aliança informal com o ex-presidente, e deixou de lado o apoio aos tucanos José Serra e Geraldo Alckmin, respectivamente.

Antes da eleição de Dilma em 2010, Pimentel e Aécio eram próximos. Em 2008, à revelia de Lula, o ex-ministro fechou um acordo com o tucano para apoiarem a candidatura de Marcio Lacerda (PSB) à prefeitura da capital. A decisão rachou o PT à época, que via em Lacerda um “aecista” em potencial.

OUTRO LADO. Sem explicar a ausência de Dilma no jingle, a assessoria do candidato informou que “a proximidade entre as campanhas de Pimentel e a de Dilma vai além.” Em nota, a assessoria esclareceu que a campanha do candidato faz a defesa dos governos do ex-presidente Lula e da presidente Dilma. “Em entrevistas e discursos, Pimentel sempre ressalta a importância e os resultados expressivos dos mais importantes programas lançados nos últimos 12 anos, como os PACs 1 e 2, o Minha Casa Minha Vida, o ProUni, o Pronatec, o Mais Médicos, entre tantas outras ações.”

Sem vermelho

Ceará. O PT deixou o vermelho de lado na campanha do Ceará. Nas peças publicitárias de Camilo Santana, candidato ao governo, a cor tradicional do partido cedeu espaço ao amarelo. Até o “13” do partido é amarelo. “A cor não tem tanta importância. A campanha de reeleição de Dilma, por exemplo, será com verde e amarelo. O importante é que é candidato do PT”, explicou Francisco de Assis Diniz, presidente do PT-CE.

Comitê

Juntos. A assessoria de Pimentel informou que o comitê central dele e o da presidente Dilma em BH serão inaugurados na próxima semana, no mesmo endereço, na avenida Afonso Pena.

Falta dinheiro para material no PSB Ainda sem recursos, o PSB não fez site nem jingle para o candidato ao governo de Minas, Tarcísio Delgado. Em relação ao material de campanha, o PSB está atrasado. O deputado estadual Wander Borges (PSB) afirmou que a chapa não tem recursos para dar mais força ao candidato do partido. “Ainda não temos grande estrutura disponível. O presidente da sigla, Júlio Delgado, vai conversar com Eduardo Campos (presidenciável) para resolver isso.”

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave