‘Ela não se apresenta ao povo’

Em visita à favela de Vigário Geral, Aécio Neves critica fato de Dilma priorizar eventos fechados

iG Minas Gerais |

Batucou. Na favela, Aécio comentou o voto “Dilmão”, misto de Dilma para presidente e de Pezão (PMDB) para governador do Rio
Orlando Brito / Coligacao Muda B
Batucou. Na favela, Aécio comentou o voto “Dilmão”, misto de Dilma para presidente e de Pezão (PMDB) para governador do Rio

Rio de Janeiro. O senador tucano e candidato à Presidência, Aécio Neves, visitou nessa sexta o centro cultural do AfroReggae, na favela de Vigário Geral, no Rio de Janeiro. A visita marcou o retorno de Aécio às agendas públicas desde que a imprensa noticiou a construção de um aeroporto com recursos públicos em terreno que pertenceu a um parente dele.  

Aécio aproveitou o corpo-a-corpo com moradores para criticar o encontro da candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), com prefeitos e o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), nessa quinta. Aécio afirmou que Dilma tem se concentrado em fazer eventos fechados e impõe a presença de aliados.

“A diferença central da nossa campanha para a da presidente é isso aqui, eu estou andando pela rua, sem ninguém. A nossa campanha vai ser olhando para as pessoas. Por enquanto, a presidente tem tido dificuldade de se apresentar à população, os eventos são fechados, com quase que imposição da presença de aliados”, disse o tucano.

A ausência de Dilma das ruas foi confirmada pela própria coordenação do comitê de reeleição da petista. Na noite de quinta-feira, cerca de 60 prefeitos aliados foram convocados para que organizem atos de campanha mesmo sem a presença da candidata. Responsável pela agenda da campanha, Giles Azevedo jogou um balde de água fria nos presentes, pedindo que eles reduzam a expectativa em relação à presença de Dilma em suas cidades. A justificativa foi que ela não terá tanto tempo disponível suficiente para percorrer o país, já que acumulará os compromissos de candidata com os institucionais da Presidência da República.

Em Minas, por exemplo, reduto de Aécio, Dilma só deve ir, a princípio, duas vezes, de acordo com prefeitos presentes na reunião. A primeira agenda será na próxima sexta-feira, em Montes Claros, em um ato de campanha de Josué Gomes (PMDB), candidato ao Senado. Ficou acertado ainda que Dilma vai marcar um ato nacional com prefeitas.

Na área econômica, as críticas de Aécio foram sobre o que chamou de “excessivo intervencionismo”. “O Brasil é um país hoje visto com enorme desconfiança pelos investidores internos e externos pelo excessivo intervencionismo do estado em setores fundamentais da economia, o energético e o de petróleo. A FGV está apontando que a confiança dos agentes econômicos vem diminuindo. Sem confiança, meu amigo, ninguém se desenvolve”.Economia.

Companhia

No rastro do pai. Gabriela, filha mais velha do senador Aécio Neves, acompanhou o pai nessa sexta em Vigário Geral. Discreta, ela nem sempre é vista nas agendas de campanha de Aécio.

“Caso do aeroporto foi esclarecido” Rio de Janeiro. O candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves, comentou a polêmica sobre a construção do aeroporto em terreno que pertenceu ao seu tio-avô no município de Cláudio, em Minas Gerais. Para o candidato, a questão “já foi mais do que esclarecida”. Repetindo que a divulgação na mídia tem caráter eleitoreiro, Aécio evitou responder perguntas sobre o aeroporto. “Saí de Minas com 92% de aprovação e tenho a certeza que em Minas terei extraordinária vitória”, resumiu o tucano.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave