Proteção no aconchego divino

iG Minas Gerais |

Amados, hoje quero pedir a Deus muita proteção a todos nós, porém, desta vez, não me refiro apenas à proteção “externa”, ou seja, a proteção no sentido apenas de segurança física, me refiro também à proteção no sentido de segurança mental, espiritual e, acima de tudo, estrutural, para que todos possamos ter as ferramentas necessárias para enfrentar as adversidades da vida num sentido mais amplo. Quando educamos nossas crianças, buscamos torná-las fortes, conscientes dos percalços que irão enfrentar durante a existência terrena. Citei no título deste texto a palavra “aconchego”, porque é a esse tipo de segurança que estou me referindo. Nesta semana, lembramos dos avós de Jesus, são Joaquim e santa Ana, os pais de Maria Santíssima, e poucos lugares são mais seguros e aconchegantes do que o colo de uma avó e um avô. No oriente, o culto aos avós de Jesus é muito antigo, vem desde os primeiros séculos. Já no ocidente, esse culto vem do século VIII. Mas vamos aproveitar essa data para que seja feita uma profunda reflexão: vocês têm dado a real importância para o amor e a caridade? Vocês podem se perguntar: “Mas padre, onde entram o amor e a caridade em tudo que o senhor escreveu?” E eu lhes respondo que, se vocês prestarem atenção, o amor dos avós é muito caridoso. Claro que existem exceções, mas, normalmente, o amor dos avós é o mais incrível amor que existe. Costumamos dizer que os avós são pais duas vezes. Sabe por quê? Porque inúmeros avós batalharam muito a vida inteira para criar seus filhos e edificarem uma família e, quando estão na idade de descansar, ainda ajudam na criação dos filhos dos filhos, seus netos. Mas não o fazem encarando essa tarefa como um sacrifício, uma labuta, fazem com muito prazer, orgulho, amor e carinho. Por isso, vamos refletir sobre esse amor e vamos buscar uma semelhança, buscar um aprendizado com essas pessoas. Apenas nos espelhando em pessoas que podem nos servir de exemplo poderemos também servir de exemplo para nossos filhos e assim por diante. Consequentemente, esse é o único caminho para espalharmos esse amor tão bonito pelo nosso mundo afora. O mundo é de todos nós, e pensar que cada um que cuide de seu espaço, como se cada pessoa fosse uma ilha, é justamente a ruína da raça humana. Portanto, reflita sobre o amor e carinho que você dá às pessoas à sua volta. Pense no amor de seus avós e, se você tem a felicidade de conviver com eles, retribua o amor que eles têm por você. Boa semana! Deus abençoe a todos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave