Percebes na costa vicentina

iG Minas Gerais |

Geleias, queijos portugueses e até foie gras fazem também a mesa em Portugal
Renato Quintino/divulgação
Geleias, queijos portugueses e até foie gras fazem também a mesa em Portugal

Não é só de queijo Serra da Estrela, caldo verde, bacalhau, arroz de pato e pastel de nata que vive a gastronomia portuguesa. Mesmo num país pequeno como Portugal, séculos de história explicam as muitas especificidades e as variações das receitas e tradições gastronômicas de cada região.

Como em todo o mundo, o mais importante na gastronomia são os ingredientes de base que, em seguida, são guarnecidos por produtos regionais. E os ingredientes portugueses são muitos e variados. Muita gente, por exemplo, já comeu bacalhau, mas pouca gente experimentou percebes.

Existem ótimos vídeos disponíveis no YouTube sobre a pesca de percebes. Especialmente quando é um chef estrangeiro (inglês ou norte-americano), a coisa chega a ser divertida por eles não entenderem a estranha (para eles) paixão dos portugueses pelo bacalhau, a existência de confrarias para degustá-lo (e de outras também para o vinho do Porto) e o por que de se quase arriscar a vida para pescar percebes.

A pesca é perigosa. O crustáceo (se assemelha a um molusco devido à concha calcária) é encontrado preso a rochedos próximos à arrebentação das ondas na Costa Vincentina. Para um português, a iguaria traz o verdadeiro sabor do mar quando fervido rapidamente e degustado com manteiga de ervas, flor de sal e pão de raposeira tostado.

A lista de ingredientes que geram as delícias na cozinha do país é grande, como o feijão moleiro (em sopa com couve), a truta frita (com sal e ervas), lingueirões, molejas de vitela (com cebolas e vinagre de Porto), pasteis de chaves, queijo trasmontano e peixe-espada preto de Sesimbra, além dos mais conhecidos leitão (da Bairrada), carneiro (Alentejano), cabrito (do Douro) e das famosas caldeiradas e cataplanas de frutos do mar.

Os melhores sabores das receitas vêm da sua rusticidade, comos de tomatadas, saladas de couve, abrunhos no forno, ostras, porco preto, arroz de coelho, sangrias, requeijadas e terrinas de joelho de porco, tudo provindo de lugares, como Santa Cruz, ilha do Farol, Olhão, praia do Seixo, Serra da Estrela, Arraiolos, Sageres, Serra do Gerês, Porto e, claro, Lisboa.

Vinho

Cada vez melhor, o vinho português é candidato forte a ser a bola da vez, tem opções em todas as regiões – dos verdes, loureiros e alvarinhos do Minho aos tintos e brancos do Douro, Bairrada, Lisboa e Alentejo, passando pelo excepcional vinho do Porto em seus vários estilos e os doces moscatéis, sejam de Setúbal ou o Roxo do Douro.

A mesa portuguesa expressa a fartura e a riqueza de suas variações regionais. Mas convenhamos que é muito bom saber que, em todo o país, podemos também sempre provar de novo os queijo Serra da Estrela, caldo verde, bacalhau, arroz de pato e pastel de natas.

Receita

CATAPLANA DE FRUTOS DO MAR

Modo de fazer .Coloque em uma cataplana (ou panela de pedra com tampa) 100 g de manteiga, 50 g de cebola picada, 200 g de camarões médios, 100 g de vieiras, 100 g de badejo, 50 g de lulas, 50 g de polvo, 50 g de mexilhões, 10 ml de whisky, 300 ml de tomate pelado batido no liquidificador, 300 ml de creme de leite fresco, 1 e 1/2 colher (sopa) de mel, sal e pimenta-do-reino a gosto. Cozinhe em fogo baixo por 15 minutos, destampe e sirva imediatamente.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave