Fórmula 1 dos aviões, Air Race agita pacata cidade no verão da Polônia

Gdynia, cidade portuária polonesa vai receber a quarta etapa do principal campeonato mundial de aviação

iG Minas Gerais | Igor Veiga |

ESPORTES - 25.07.2014
Pilotos fazem voo de demonstracao ao longo da costa da cidade de Gdynia .

FOTO : Sebastian Marko / Red Bull Content Pool
Sebastian Marko / Red Bull Conte
ESPORTES - 25.07.2014 Pilotos fazem voo de demonstracao ao longo da costa da cidade de Gdynia . FOTO : Sebastian Marko / Red Bull Content Pool

Gdynia, Polônia. O céu da tranquila cidade portuária de Gdynia, uma das mais novas da Polônia, recebe neste fim de semana a quarta etapa da Red Bull Air Race, o mais importante campeonato mundial do que podemos chamar de a “Fórmula 1” dos aviões, onde vence quem é o mais rápido contra o relógio e comete menos penalidades no circuito delimitado por cones infláveis com 25 m de altura.

A competição reúne 12 pilotos, verdadeiros ases da aviação, que com voos para lá de rasantes rasgam o céu com manobras impressionantes em meio as pilastras infláveis sobre o mar, que demarcam o percurso da corrida aérea a ser cumprido. Não só pelo campeonato em si, a Air Race encanta e atrai milhões de pessoas pelo mundo pelos belos cenários em que é realizada ao redor do planeta. Neste ano, o evento já passou por Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, Rovinj, na Croácia e na exótica cidade de Putrajaya, na Malásia. Em Gdynia, o palco do espetáculo aéreo é uma pequena praia banhada pelo mar Báltico, próximo ao principal pier da cidade. 

Nesta sexta-feira, bastaram os treinos livres da Air Race para atrair centenas e milhares de curiosos em assistir o evento. A disputa pra valer acontece amanhã, a partir das 11h (horário de Brasília), quando 120 mil pessoas devem asssitir o show dos pilotos de avião mais audaciosos do mundo, que a bordo de seus monomotores e a mais de 390 km/h, precisam enfrentar condições extremas dentro do cockpit para dar um verdadeiro show sob o céu da cidade polaca. 

Além de correr contra o relógio, eles encaram outro grande desafio, a força G – que o efeito da gravidade que aumenta o peso do próprio corpo em curvas acentuadas feitas nas acrobacias. No caso da Air Race, os competidores podem chegar a 10 G nas acrobacias. Assim, um piloto com 70 kg, por exemplo, chega a ter o peso elevado a 700 kg durante o trajeto da corrida aérea.

Além de preparação física e mental, os ases da Air Race contam com uma ajuda especial, um macacão chamado G-Race, que usa um sistema de dutos e bolsões de água para pressionar o corpo e evitar que falte sangue para a cabeça, braços e tronco. Caso contrário, correriam ainda mais risco de desmaiar em pleno voo e sofrer graves acidentes.

Números 2 categorias formam a Air Race. A mais importante é a Master Class, composta por 12 pilotos veteranos da aviação mundial. A categoria de acesso é a Challenger Cup com 11 pilotos. Vence a prova quem completa o percurso no menor tempo.

1 piloto apenas é da América do Sul, trata-se do chileno Cristian Bolton, que voa na categoria Challenger.

1 brasileiro já participou do campeonato, em 2010.  Foi o piloto paulista Adilson Kindlemann, que acabou sofrendo um grave acidente em uma prova na cidade de Perth, na Austrália. Desde então, não voltou mais a competir na Air Race.

Evento está no Guinness Book A Air Race faz parte do Guinness Book, o livro dos recordes. Foi o evento esportivo assistido ao vivo pelo maior número de pessoas de uma só vez. O recorde aconteceu em 2007, quando uma das etapas da competição mundial foi realizada no Brasil, na enseada da praia de Botafogo, no Rio de Janeiro. Segundo números oficiais do Guinness, 1,2 milhão de pessoas pararam ao longo da praia carioca para acompanhar o show aéreo no circuito de cones flutuantes da Air Race que teve como papel de parede a bela Baía de Guanabara. Devido ao grande sucesso, o evento voltaria a capital fluminense em 2009, mas devido ao mau tempo, a competição acabou sendo cancelada no dia da prova.

Leia tudo sobre: air raceaviaopolonia