Mancini fecha treino, mas indica escalação do Botafogo

Treinador disse que treinou de portões fechados por ser fim de preparação para um clássico, mas que não pretende mexer demais no time

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Vágner Mancini, em seus primeiros atos como treinador, tenta encontrar melhor esquema para o Fogão
Vitor Silva / SSPress
Vágner Mancini, em seus primeiros atos como treinador, tenta encontrar melhor esquema para o Fogão

O técnico Vágner Mancini optou pelo mistério nesta sexta-feira e fechou por mais de uma hora o treino do Botafogo no Engenhão. O objetivo era esconder a escalação para o clássico de domingo, diante do Flamengo, no Maracanã. Mas quando o treinador finalmente abriu a atividade aos jornalistas, os 11 titulares ainda participavam da atividade, então foi possível ter ideia de quem entrará em campo no duelo válido pelo Brasileirão.

"O time não vai fugir muito do que treinamos na semana e seria incoerente se fugisse muito. A gente fecha por ser um jogo diferente dos outros. Existem muitas coisas que envolvem um jogo desse e eu não vou antecipar a escalação e nem dar pistas. Eu vejo o grupo muito motivado. Estamos muito melhores e vi durante a semana que teremos um Botafogo forte e motivado para o clássico, com uma participação e movimentação muito boa", declarou Mancini.

A principal dúvida da equipe é o atacante Emerson, que iniciou a atividade mas sentiu dores musculares e precisou sair mais cedo. Com isso, o Botafogo vai a campo com: Jefferson; Edílson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Airton, Gabriel, Bolatti e Carlos Alberto; Zeballos e Emerson (Yuri Mamute ou Rogério). O atacante Rogério, aliás, ainda depende da liberação junto à CBF para estrear.

Mancini admitiu que o mistério e a dúvida em relação à escalação são frutos da oscilação da equipe durante o Brasileirão. "Eu ainda não vi o Botafogo ideal, mas é importante dizer que estamos em outro patamar, não só físico, mas tático também, com um cobrando do outro o posicionamento no sentido defensivo e ofensivo. O Botafogo ideal é aquele que entra em campo e que ganha a partida. Hoje eu ainda não posso cobrar do meu grupo aquele espetáculo de futebol, o momento é de vencer. Depois, quando estivermos melhor na tabela, podemos pensar nisso."

Sobre a crise no rival, o Flamengo, o treinador botafoguense preferiu não comentar. "O Botafogo tem que pensar nele. Não da para ficar pensando no que o adversário vai ter ou sofrer. Temos que melhorar no campeonato, ir se acertando. Todo mundo sabe que o jogo é muito importante para as duas equipes subirem na tabela. O Flamengo também é feito de pressão e nesses momentos eles se agigantam."

Leia tudo sobre: botafogoclassicofuteboltecnicovagner mancini