Comerciantes estão pessimistas em relação às vendas no Dia dos Pais

Os principais motivos apontados foram a inadimplência e a inflação, por outro lado, alguns empresários acreditam que a baixa na venda foi apenas durante

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Muitos comerciantes de Belo Horizonte, estão pessimistas em relação às vendas para o Dia dos Pais deste ano. A data, comemorada no dia 10 de agosto, não inspira muitas expectativas e os principais motivos apontados pelo empresários para a baixa venda de produtos neste período,  são a inadimplência e inflação. É o que mostra a pesquisa realizada com 200 comerciantes de Belo Horizonte realizada pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) entre os dias 10 e 15 de julho.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, 45,45% dos empresários se diz pessimista quanto ao desempenho do comércio no Dia dos Pais. Já para 33,33% deles, as vendas de 2014 serão superiores as do ano passado e para 21,21% dos entrevistados, elas serão semelhantes.

Para a maioria dos comerciantes (54,29%) os fatores que devem prejudicar as vendas são a inadimplência e a inflação. Em seguida vem a concorrência, segundo 8,57% dos entrevistados, as obras (8,57%), a falta de estacionamento (5,71%), os feriados e as férias antecipadas, por causa da Copa do Mundo (5,71%), a insegurança (2,86%) e manifestações (2,86%). O restante não soube opinar ou acredita que nada irá atrapalhar as vendas.

O comerciante Fernando Assis, da Compasso Calçados, localizada no centro da capital, é um dos que acredita que o Mundial tem atrapalhado as vendas. “Não é só neste período, mas este ano todo foi atípico para o comércio. Mesmo em datas como Dia das Mães e Dia dos Namorados, as vendas foram baixas em relação ao ano passado, em pelo menos, 30%. Acho que é por causa da Copa sim, e da mudança nas férias. Por causa do evento, muitas pessoas viajaram ou evitaram vir ao centro da cidade, com medo de complicações no trânsito, manifestações e bagunça”, disse.

Já para a comerciante Natália Diniz, da Anjo Azul Modas, as expectativas são as melhores. “Depois da Copa o comércio deu uma reagida e a gente espera que as vendas voltem ao normal. Acredito que durante o Mundial, o dinheiro dos consumidores foi empenhado em outras coisas, como saídas, viagens, alimentação, diversão, mas com o fim do evento, isso já está mudando”, comentou.

A pesquisa também aponta que os empresários apostam em estratégias para potencializar as vendas para o Dia dos Pais. Quase 27% acredita que a mudança de estação e a possível chegada de novos produtos podem reaquecer o comércio. Já para cerca de 23% as liquidações de inverno são a grande aposta para driblar a baixa saída dos produtos.

No ranking dos produtos mais procurados para a data, na opinião dos entrevistados, estão as roupas (50,47%), os calçados (40,19%), acessórios (2,8%), papelaria e livraria (1,87%), artigos esportivos (1,87%), eletrodomésticos (0,93%), bebidas (0,93%) e artigos de pesca (0,93%).

Já sobre a forma de pagamento escolhida para comprar o presente do pai, os empresários acreditam que a mais utilizada será o dinheiro (81,63%), seguida pelo parcelamento no cartão (11,22%) e o parcelamento no carnê ou crediário (5,1%). As últimas opções cogitadas pelos comerciantes são o pagamento à vista no cartão de crédito e o parcelamento pelo cartão da própria loja. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave