Governo francês diz que queda de avião no Mali matou 118 pessoas

O avião da Air Algerie que caiu na quinta-feira no Mali transportava 118 pessoas, e não 116, como foi indicado em balanços anteriores, indicou nesta sexta-feira (25) a presidência francesa

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

AGÊNCIA FRANCE-PRESSE
undefined

O presidente francês, François Hollande, indicou nesta sexta-feira (25) que "lamentavelmente não há nenhum sobrevivente" do avião da Air Algérie que caiu ontem no Mali com 118 pessoas a bordo.

"Uma caixa-preta foi recuperada e encaminhada a Gao [cidade onde a França tem uma base]", declarou ainda o presidente em uma breve declaração à TV. Hollande acrescentou que todas as hipóteses sobre as causas do acidente estão sendo estudadas, em particular meteorológicas.

"Os soldados franceses que já estão ali protegeram o local e realizaram as primeiras investigações", disse. A presidência francesa corrigiu o número de 116 a bordo para 118 -112 passageiros e seis tripulantes.

O avião da Air Algerie que caiu na quinta-feira no Mali transportava 118 pessoas, e não 116, como foi indicado em balanços anteriores, indicou nesta sexta-feira a presidência francesa.

Mais cedo, o governo francês havia confirmado que os destroços do avião foram localizados próximos a cidade de Gossi, no sul do país, perto da fronteira com a Burkina Fasso.

O presidente do Mali, Ibrahima Boubacar Keita, deve visitar o local da queda nesta sexta-feira, segundo a TV estatal.

O controle teria perdido contato com o avião à 1h55 de ontem (horário local), cerca de 50 minutos após a decolagem de Uagadugu, capital de Burkina Fasso, rumo a Argel, capital da Argélia.

O avião operado pela Air Algérie -um modelo MD-83 pertencente à companhia aérea privada espanhola Swiftair- levava seis tripulantes espanhóis, 51 franceses, 24 burquinenses, oito libaneses, seis argelinos, cinco canadenses, quatro alemães, dois luxemburgueses, um belga, um camaronês, um egípcio, um malinês, um nigeriano, um romano, um suíço e um ucraniano. A nacionalidade dos passageiros restantes ainda não foi confirmada, segundo o francês "Le Monde".

Acidentes

O episódio é o último de uma série de desastres aéreos. Em março, o voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu com 239 pessoas a bordo quando ia de Kuala Lumpur (Malásia) para Pequim (China).

Na semana passada, outro avião, também da Malaysia Airlines, um Boeing-777, foi derrubado aparentemente pelo disparo de um míssil na região ucraniana de Donetsk, perto da fronteira com a Rússia. O medo de que algo parecido ocorresse em Israel fez empresas americanas e europeias suspenderem voos internacionais para o aeroporto de Tel Aviv -a maioria já retomou as atividades.

Ademais, na quarta, um avião da Transasia Airways caiu em Taiwan durante um temporal, matando 48 pessoas.

Mali

Os vastos desertos e montanhas do norte do Mali foram tomados por separatistas da etnia tuaregue e, em seguida, por extremistas islâmicos ligados à Al Qaeda, após um golpe militar em 2012.

As forças francesas intervieram em janeiro de 2013 para enfrentar os extremistas islâmicos. Um soldado francês foi morto no início deste mês, perto de Gao, onde as tropas francesas permanecem.

Leia tudo sobre: acidenteaéreoMaliArgéliaFrançaAir AlgérieFrançois Hollandemundotragédia