Obra de terminal está parada

Construção na Bernardo Monteiro não tem movimentação há cerca de um mês

iG Minas Gerais | jhonny cazetta |

Deserta. Materiais de construção e lixo se misturam na avenida Bernardo Monteiro e levam sujeira para dentro de imóveis e comércios
Alex de Jesus
Deserta. Materiais de construção e lixo se misturam na avenida Bernardo Monteiro e levam sujeira para dentro de imóveis e comércios

Iniciadas em abril, as obras para construção do terminal Move da avenida Bernardo Monteiro, na região hospitalar de Belo Horizonte, estão paralisadas há mais de um mês. No lugar de máquinas, cimento e ferragens, o que se vê atualmente no local são folhas secas, entulho e muita poeira – até agora o asfalto foi retirado e houve corte de algumas árvores.  

Tudo isso tem revoltado os moradores e comerciantes da região, que dizem estar sendo prejudicados com a situação. “Desde antes da Copa do Mundo abandonaram tudo e nos deixaram aqui, no meio do nada. Tem incomodado muito, e é uma falta de respeito com todos”, afirmou José Marcio Nunes, 50, gerente de uma loja da avenida, que precisa fechar as portas do local para tentar evitar a entrada de sujeira.

A previsão inicial para a conclusão das obras, que possui um orçamento de R$ 9,3 milhões, era de, no máximo, até janeiro de 2015. Contudo, com a interrupção dos trabalhos, o prazo de construção do terminal deverá ser estendido. “Esse atraso que deve ocorrer é uma aflição para todo mundo. Se estivessem fazendo alguma coisa, a gente poderia aceitar, mas do jeito que está, não dá para engolir”, desabafa a aposentada Maria Consolação Diniz, 69, que mora nas proximidades e também reclamou da acessibilidade do local. “Eu moro aqui bem ao lado, mas não enxergo tão bem. Como está tudo esburacado, já caí duas vezes. Imagina para quem é deficiente”, acrescentou.

Além da preocupação com o atraso para o início do funcionamento da estação de ônibus, a queda no número de clientes também vem preocupando os lojistas da região. “Caiu a movimentação para todo mundo. A gente sabia que com a construção isso iria acontecer, mas o que entristece mesmo é ver essa obra parada e sem perspectiva do resultado prometido”, disse um outro comerciante, Chelpes Ferreira.

Trabalhos. Mesmo sem obras, alguns operários da empresa responsável por realizar os trabalhos de construção da estação ainda permanecem na avenida.

De acordo com um deles, o trabalho é o de simplesmente jogar água na terra, para evitar a poeira, e consertar as redes de isolamento do local. “É o que está tendo para fazer. Tiraram o maquinário, mas continuamos aqui à espera de uma nova ordem”, contou o homem, que pediu para não ser identificado.

Adutora seria motivo da interdição A descoberta de uma adutora de água no local onde as estacas de fundação da estação da avenida Bernardo Monteiro ficariam foi a justificativa dada pela Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop) para a suspensão dos trabalhos. A assessoria de imprensa da pasta, no entanto, informou que, durante o mês de interrupção, um novo projeto foi feito e que na semana que vem a obra deve ser retomada. Ainda segundo a secretaria, em princípio, não há alteração na data para inauguração, prevista para janeiro de 2015.

Integração Terminal. A Estação da Bernardo Monteiro é uma das três estações do Move Metropolitano da região Centro-Sul de Belo Horizonte. Ela fará a ligação com os terminais Vilarinho, São Benedito, Justinópolis e Morro Alto. Planos. A previsão do governo do Estado é que o terminal receba, quando estiver concluído, quatro linhas troncais do sistema e uma média de 40 veículos. A estação deve receber cerca de 3.800 passageiros no horário entre 5h e 7h30.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave