Rock n’ Roll pesado de uma discografia inteira

Banda carioca apresenta disco “Thunder Dope”, que reúne músicas não gravadas durante toda a carreira, além de sucessos

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Matanza chega perto dos 20 anos de carreira com história robusta no rock
rodrigo bertolino/DIVULGAÇÃO
Matanza chega perto dos 20 anos de carreira com história robusta no rock

Com 17 anos de estrada, o Matanza tem bagagem de quem passou pelos maiores festivais do Brasil mostrando uma discografia de oito álbuns, que foram amadurecendo ao transitar pelo heavy metal e hardcore, até chegar ao que se convencionou chamar de countrycore. Há dois anos, a banda resgatou músicas esquecidas em fitas K7 e outras gravações demo, sem nunca ter sido compiladas em disco. E são essas raridades presentes no álbum “Thunder Dope” (Deck), além de todos os sucessos da carreira, que vão embalar o show do Matanza amanhã, às 22h, no Music Hall.

Frente ao público, o vocalista Jimmy London continua o mesmo guia da seita roqueira de sempre: balança a cabeleira para todos os lados, pula no palco carregando 120 quilos distribuídos em 1,90 m de altura, joga água no corpo inteiro entre uma música e outra, e grita ao microfone com quem adivinhar o bis surpresa. “Teve um show em BH , isso faz o show acontecer”, diz Jimmy.mesmo que um cara gritou o nome da música que a gente ia tocar no bis e ferrou a surpresa. Fiquei puto de brincadeira no show. Quem vai no Matanza sabe do ritual

Acompanhado de Donida nas guitarras, China no baixo e Fausto na bateria, o vocalista Jimmy London volta aos anos 90 para interpretar canções de uma época em que a banda era embrionária, como “Terror em Dashville” e “De Volta a Tombstone”, que integram “Thunder Dope”. O show ainda traz outras pérolas do novo disco, como “Sunday Morning After”, gravada antes da formação da banda, em 1996, e “Goredoom Jamboree”, primeira música oficial do Matanza como grupo de rock n’ roll. O repertório ainda é alimentado por sucessos atemporais, como “Clube dos Canalhas” e “Bom É Quando Faz Mal”. “Repaginamos a forma de tocar e vamos com o público. O que eles pedem, como eles sentem a guitarra, a gente vai tocando”, diz Jimmy.

Serviço. O Matanza se apresenta no Music Hall (avenida do Contorno, 3.239, Santa Efigênia), amanhã, a partir das 22h. Os ingressos custam R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave