Resposta ruim a uma posição atabalhoada

O Brasil pede proporcionalidade a Israel, e em todas as crises internacionais ele se posiciona dessa forma

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

O professor Danny Zahreddine, do Departamento de Relações Internacionais da PUC-Minas, diz que o Brasil sempre foi muito coerente sobre questões humanitárias. “O Brasil sempre se posicionou a favor das populações oprimidas. O que acontece em Gaza é inaceitável em qualquer país do mundo. O Brasil pede proporcionalidade a Israel, e em todas as crises internacionais ele se posiciona dessa forma”. Para ele, a reação de Israel foi uma “resposta malcriada” de um país que está extremamente pressionado.

O cientista político Christian Lohbauer, membro do Grupo de Análise de Conjuntura Internacional da Universidade de São Paulo (Gacint/USP), condena a atitude do governo brasileiro. “Se o Brasil resolve tomar posição de forma atabalhoada em uma questão assim, deve estar preparado para ouvir”, diz.

E acrescentou: “O Brasil sempre fez um esforço para não se envolver nessas questões. Isso foi rompido ou arranhado desde o governo Lula. Agora, faz movimentos que nunca couberam ao seu perfil diplomático”, criticou. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave