Delegado reage a assalto e mata bandido com 2 tiros

Segundo o depoimento do policial, ele lanchava quando percebeu que um homem rendia funcionários do local

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Susto. 
Lanchonete fica na avenida Lourival Augusto Carvalho
FOTO: ALEX BRANDAO / O TEMPO
Susto. Lanchonete fica na avenida Lourival Augusto Carvalho

 

Um delegado da Polícia Civil de folga reagiu a um assalto, no último sábado (19), e matou o suspeito. O crime aconteceu no bairro Bueno Franco, por volta das 23h, e deixou moradores da região assustados.   Segundo informações do delegado titular da Homicídios, Álvaro Huertas, responsável pela investigação do caso, o policial Thiago de Carvalho Passos contou em depoimento que lanchava em um estabelecimento na avenida Lourival Augusto Carvalho quando percebeu que funcionários do local haviam sido rendidos por um homem.   O autor, Pablo Estebam Barbosa, teria ameaçado todos com uma garrucha calibre 22. Em seguida, o suspeito rendeu o delegado e roubou a sua carteira e o seu celular. Sob ameaças de morte, o militar tirou o revólver da cintura, durante um descuido do suspeito, e efetuou dois disparos. Os tiros, segundo a perícia, atingiram um braço e o peito de Barbosa. “A versão do policial é que ele atirou em legítima defesa”, informou Huertas, ao ressaltar que Passos é de Betim, mas está lotado na cidade de Medina, no Vale do Jequitinhonha. Durante o corrido, ele curtia férias no município.   Socorro De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi socorrida por policiais militares, que foram acionados pelo próprio delegado, e encaminhada para o Hospital Regional.    Em um primeiro momento, Barbosa foi autuado como autor de uma tentativa frustrada de assalto. No entanto, no domingo, por volta das 16h, ele não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.   Já Passos, que se apresentou à Delegacia Regional do município logo após os disparos, prestou depoimento e foi liberado em seguida. Segundo Huertas, o delegado de plantão entendeu que a ação foi em legítima defesa.    A previsão é que o inquérito seja concluído em dez dias. “Se for comprovada legítima defesa, o inquérito deve ser arquivado”, explicou o delegado da Homicídios.   Ainda de acordo com ele, Barbosa já tinha passagem na polícia por roubo de carro e uso de drogas. A arma usada pelo autor durante o assalto, uma garrucha calibre 22, foi apreendida com dois cartuchos intactos. Nenhum cliente ou funcionário da lanchonete se feriu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave