Falta de luz gera prejuízos a empresários e moradores

Parte da região ficou sem eletricidade por 19 horas depois que um poste de madeira pegou fogo na quarta-feira (23); população perdeu alimentos, e muitos preferiram dormir sem tomar banho

iG Minas Gerais | Dayse Resende |


Transtorno. 
Poste de madeira atingido por fogo caiu e rompeu fiação
FOTO: NELSON BATISTA / OTEMPO
Transtorno. Poste de madeira atingido por fogo caiu e rompeu fiação

 

Um incêndio em uma mata nas proximidades da rua Alameda do Sereno causou prejuízos a empresários e moradores do bairro Bandeirinhas. É que um poste de madeira pegou fogo, caiu e causou o rompimento de alguns fios de tensão, deixando parte da população local por 19 horas sem energia elétrica, entre a noite de quarta-feira (23) e o início da tarde de quinta (24).   O empresário José Eurípedes de Freitas, dono de uma casa de shows na região, contou que o seu prejuízo só não foi maior porque os dias de maior movimento em seu estabelecimento são as quintas-feiras. “Isso é um absurdo. Perdi gelo, as bebidas esquentaram e tive que dispensar meus funcionários. Acho que é uma falta de consideração da Cemig com seus clientes e com as regiões mais afastadas dos grandes centros urbanos”, reclamou Freitas, que ainda não havia calculado os valores de seu prejuízo.   Ele contou que fez a primeira ligação à central da companhia de energia às 20h de quarta (23), mas a energia da região só foi restabelecida às 14h de quinta (24). “Os técnicos que fizeram o reparo na rede nos disseram que um caminhão da Cemig, que viria ao local para fazer o conserto pela manhã, estragou. Por isso, a demora”.   A auxiliar de serviços gerais Rosana de Oliveira também teve problemas com a falta de eletricidade. Segundo ela, por causa do problema, o seu neto, de 1 ano e 6 meses, que sofre de problemas respiratórios, não pôde fazer nebulização. “Minha filha teve que abanar meu neto durante a noite inteira. Ele sentia muita falta de ar. Isso é um absurdo. A gente paga pelo serviço e, quando precisa, não tem um bom atendimento”.   Rosana também se queixa do fato de vários postes da região ainda serem de madeira. “Esses postes não são resistentes como os de concreto e, facilmente, pegam fogo, como ocorreu aqui ontem (quarta)”.   Já o pedreiro Reginaldo Costa Pereira disse que todos os alimentos que estavam na geladeira de sua casa foram perdidos. Ele calcula um prejuízo de aproximadamente R$ 200. “Perdi carnes, frutas e leites”, disse.   Por causa do problema, ele, a esposa e a filha, de 1 ano e 5 meses, tiveram que dormir sem tomar banho. “Com esse frio, não deu para enfrentar a água gelada do chuveiro. Improvisamos a iluminação com velas”, destacou.   A assessoria de imprensa da Cemig informou que, como foi preciso substituir o poste, a manutenção demandou mais tempo das equipes envolvidas. A companhia de energia elétrica também ressaltou que os postes de madeiras não comprometem a qualidade do serviço e garantiu que eles são utilizados normalmente por todas as concessionárias do país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave