Famílias começam a deixar condomínio vizinho a viaduto

José Gomes de Souza, 49, assistente administrativo, deixou seu apartamento uma semana antes da queda do viaduto

iG Minas Gerais | Cinthia Ramalho |

Desistência. Mesmo antes da ordem oficial da prefeitura, família deixa imóvel próximo à alça norte do viaduto, que ameaça desabar
Moisés Silva
Desistência. Mesmo antes da ordem oficial da prefeitura, família deixa imóvel próximo à alça norte do viaduto, que ameaça desabar

Moradores do condomínio Savana, que fica próximo ao viaduto que caiu na avenida Pedro I, começaram a deixar seus apartamentos. Eles decidiram sair de suas casas por conta própria, pois alegam que não aguentam mais a situação de insegurança desde que a estrutura desabou.

Isabela Regina da Silva, 25, vive com o marido e a filha de apenas 1 ano em um apartamento alugado no condomínio. A família dela foi a primeira a deixar o condomínio na noite desta quinta. Mesmo tendo preenchido os dados no cadastramento que é realizado por funcionários da Defesa Civil e assistentes sociais da Prefeitura de Belo Horizonte, a dona de casa não quis esperar a data que será estipulada pela prefeitura para que os moradores deixem suas casas, provavelmente no domingo. “Meu apartamento treme muito, e minha filha está com problemas respiratórios. Estamos com medo e queremos sair rápido daqui. Aluguei uma casa e vou me mudar para lá”, disse.

José Gomes de Souza, 49, assistente administrativo, deixou seu apartamento uma semana antes da queda do viaduto. Na noite desta quinta, ele voltou ao local apenas para preencher o cadastramento e informou que não tem mais intenções de voltar a viver no condomínio. “Moro com minha esposa, dois filhos e uma neta de apenas seis anos. Desde o início das obras, nossa situação ficou difícil. Comprei o apartamento há pouco tempo e já tive que me mudar”, lamenta. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave