Sininho e outros dois ativistas deixam cadeia no Rio de Janeiro

Ativistas integram um grupo de 23 pessoas acusadas de formação de quadrilha para suposta atuação em protestos violentos; outros 18 denunciados eram tidos como foragidos, mas não são mais por conta do habeas corpus

iG Minas Gerais |

A ativista Elisa Quadros Pinto Sanzi, 28 anos, conhecida como Sininho, foi detida em Porto Alegre antes da final da Copa
Fernando Frazão/ Agência Brasil
A ativista Elisa Quadros Pinto Sanzi, 28 anos, conhecida como Sininho, foi detida em Porto Alegre antes da final da Copa

Os ativistas Elisa de Quadros Sanzi, conhecida como "Sininho", Camila Jourdan e Igor Pereira D'Icarahy deixaram na noite desta quinta-feira (24) o complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio.

Os três foram beneficiados por habeas corpus concedido no final da tarde de quarta-feira (23) pelo desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal do Rio.

Os ativistas integram um grupo de 23 pessoas acusadas de formação de quadrilha para suposta atuação em protestos violentos.

Todos os 23 denunciados receberam direito à liberdade. Dois denunciados - Fábio Raposo e Caio Silva de Souza - também respondem pela morte do cinegrafista Santiago Andrade, atingido por rojão em protesto em 6 de fevereiro, e permanecem na cadeia.

Os outros 18 denunciados eram tidos como foragidos, mas não são mais por conta do habeas corpus. Os três ativistas, presos desde a véspera da final da Copa do Mundo, deixaram o local em carros separados.

Houve um princípio de tumulto entre manifestantes que foram dar apoio aos ativistas liberados e jornalistas tentavam registrar a saída do presos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave