Sem acordo, treinador deixa seleção da Costa Rica

Grande parte do sucesso do País na Copa foi mérito de Jorge Luis Pinto, que montou um time capaz de surpreender seleções tradicionais

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

undefined

Mesmo depois de ter conseguido o melhor resultado da história do futebol da Costa Rica, ao chegar à disputa das quartas de final da Copa do Mundo no Brasil, o técnico colombiano Jorge Luis Pinto não vai continuar no comando da seleção do país. Ele deixou oficialmente o cargo, nesta quinta-feira, após fracassar a tentativa de acordo para renovar contrato.

A Costa Rica foi a grande surpresa da Copa disputada no Brasil. Mesmo em um grupo com três campeões mundiais (Itália, Uruguai e Inglaterra), conseguiu se classificar como primeira colocada. Depois, passou pela Grécia e só caiu diante da Holanda, na decisão por pênaltis, já pelas quartas de final da competição, estágio que nunca tinha alcançado antes.

Grande parte do sucesso na Copa foi mérito do técnico, que montou um time bem armado, capaz de surpreender seleções tradicionais. Diante disso, a Federação Costarriquenha de Futebol tentou manter Jorge Luis Pinto no cargo, mas não conseguiu. "Lamentavelmente, não houve acordo em vários pontos", disse Eduardo Li, presidente da entidade, sem dar detalhes.

Essa foi a segunda passagem de Jorge Luis Pinto pela seleção da Costa Rica - na primeira, entre 2004 e 2005, ficou apenas 19 jogos. Dessa vez, o treinador colombiano comandou a equipe em 50 partidas, em um período de dois anos e nove meses, somando 22 vitórias, 14 empates e 14 derrotas, culminando com a eliminação diante da Holanda nas quartas de final da Copa.  

Leia tudo sobre: futebolcosta ricatreinadordeixaseleçaosemacordo