Diante de Dilma, coro canta música de Campos em velório de Suassuna

Presidente e candidato se encontraram durante evento; a petista permaneceu cerca de 30 minutos do local e depois saiu para cumprir agenda

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Adversários nestas eleições, a presidente Dilma Rousseff e o ex-governador Eduardo Campos (PSB-PE) encontraram-se nesta quinta-feira (24) no Recife, durante o velório do escritor paraibano Ariano Suassuna.

Durante o encontro, Dilma passou por uma saia justa, pois o público cantou a música "Madeira do Rosarinho", canção que Suassuna entoava em todos os comícios de Campos desde a eleição de 2006, quando o pernambucano foi eleito governador pela primeira vez.

Campos tem feito uma série de críticas ao governo Dilma.

Dilma chegou ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo de Pernambuco, por volta das 14h20, acompanhada pelo governador Jaques Wagner (PT-BA) e pelo ministro Aldo Rebelo (Esporte), além de correligionários pernambucanos.

Enquanto Campos estava mais recuado, ao lado do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), Dilma ficou à frente, com o governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB).

Quando Dilma sentou-se ao lado da viúva, Zélia Suassuna, o público presente puxou a canção carnavalesca usada nas campanhas de Campos. Foi então que o presidenciável veio à frente e ficou próximo ao caixão.

"E se aqui estamos cantando esta canção. Viemos defender a nossa tradição e cantar bem alto que a injustiça dói. Nós somos madeira de lei que cupim não rói", diz o refrão da música.

Antes de ir embora, Dilma deu dois beijinhos em Campos e eles trocaram algumas palavras.

A presidente partiu depois de quase meia hora, sem dar entrevistas. Do Recife, ela seguiria para o Rio de Janeiro, onde tem compromissos ainda nesta quinta (24).

Campos viaja somente nesta sexta-feira (25) para cumprir agenda em São Paulo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave