Marina defende apurar denúncia de propina por apoio a aliado de Campos

Deputado federal José Augusto Maia (Pros-PE) afirmou ter recebido oferta de pagamento para que seu partido apoiasse a candidatura de Câmara

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

 A candidata a vice-presidente na chapa de Eduardo Campos (PSB), a ex-senadora Marina Silva (PSB), defendeu nesta quinta-feira (24) que haja investigação sobre a possível compra de apoio político para o candidato ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), aliado do presidenciável.

Conforme a Folha de S.Paulo revelou nesta quarta (23), o deputado federal José Augusto Maia (Pros-PE) afirmou ter recebido oferta de pagamento para que seu partido apoiasse a candidatura de Câmara.

"Se existe uma denúncia existe um processo de investigação. A Justiça Eleitoral está aí para fazer a investigação, então toda e qualquer denúncia deve ser investigada e apurada. Essa é a minha posição e a do Eduardo [Campos]", disse Marina.

A ex-senadora está nesta quinta (24) em Rio Branco (AC), onde participa do encontro da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência). Marina se disse favorável a uma investigação rigorosa para que não haja dúvidas sobre o caso.

"Nós não fazemos prejulgamentos nem de nossos adversários nem daqueles que estão em nossa coligação, mas a investigação deve ser feita com rigor até para inocentar os que são inocentes e culpar aqueles que porventura sejam culpados", afirmou.

De acordo com o deputado Maia, as conversas para a compra de apoio foram conduzidas pelo presidente nacional do Pros, Eurípedes Jr, e pelo seu colega de bancada, Eduardo da Fonte (PE), líder do PP na Câmara. Todos os políticos citados por Maia negaram a suposta negociação.

Marina ainda defendeu a apuração da suspeita pelo Ministério Público Eleitoral, que já informou que irá investigar o caso. "É essencial que o Ministério Público e a Justiça Eleitoral investiguem toda e qualquer denúncia que venha a ser feita."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave