Nadadores do Minas 'tiram folga' e visitam exposição de arte barroca

Atletas apenas atravessaram a rua para chegar à Casa Fiat de Cultura, onde viram esculturas italianas e brasileiras do século XVII

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

Entre a rotina pesada de treinos e competições importantes se aproximando, resta pouco tempo a muitos atletas de se envolverem em atividades culturais. Com a nova sede da Casa Fiat de Cultura instalada bem em frente ao Minas Tênis Clube, a equipe de natação Fiat-Minas teve, porém, nesta quinta-feira, a oportunidade de sair um pouco dos treinamentos habituais e entrar em contato com esculturas datadas do século XVII.

Sem sua maior estrela, o nadador Cesar Cielo - que precisou resolver problemas pessoais -, o grupo minastenista foi guiado pelas instalações e aprendeu um pouco sobre o barroco italiano e o brasileiro. Esculturas em tamanho real esculpidas em prata e madeira chamaram a atenção dos atletas. Aquelas que vieram da Itália saíram pela primeira vez da Velha Bota.

“Eu gostei bastante, muita coisa eu não conhecia, mas a nossa tutora foi muito boa. Achei muito interessante conhecer as origens das artes”, comentou a nadadora Manuella Lyrio.

Para o chefe do departamento de natação do Minas,Teófilo Laborne, o interesse dos nadadores, que tem uma média de idade de 23 anos, surpreendeu positivamente, a ponto de fazê-lo pensar em outras atividades e até mesmo em levar os atletas menores, das categorias de base.

“É uma chance que eles têm de sair de uma rotina pesada de treinamentos e têm a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre outros assuntos que não estão diretamente relacionados ao esporte. Achei interessante ver muitos deles fazendo perguntas, fiquei surpreso com alguns, com o nível de conhecimento que têm sobre o Barroco.  Tenho a ideia de trazer também nossos atletas pequenininhos, já que isso tem a ver com nossa proposta de formar atletas cidadãos”, explicou ele.

Natural de Campinas, Felipe Martins também gostou bastante da passagem pela exposição Barroco Itália Brasil – Prata e Ouro e já até começou a fazer planos para ir a outros pontos culturais da capital mineira com seus companheiros de equipe.

“A escola italiana é bem tradicional, e o fato do Aleijadinho, aqui no Brasil, conseguir fazer obras incríveis naquela época me chamou atenção. Estava até conversando com os meninos para a gente encaixar programas mais desse estilo, uma vez a cada duas semanas ir conhecer museus, porque tem muita coisa aqui em BH que a gente acaba não aproveitando”, disse ele.

Agenda. Neste fim de semana, alguns nadadores participarão do IV Torneio Metropolitano a Sênior, que terá a presença do campeão olímpico Cielo. Em setembro, os atletas disputarão o José Finkel, em Guaratinguetá, interior paulista.