Novo auxiliar, 'Cebola' tem toda a confiança de Dunga

Andrey Lopes foi o braço direito do técnico Dunga no Internacional

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Andrey Lopes é definido por aqueles que o conhecem como o “oposto de Dunga". Tranquilo, bom papo, brincalhão, não perde a calma nem quando é chamado de “Cebola", apelido que detesta, de acordo com pessoas mais próximas. Ilustre desconhecido fora do Rio Grande do Sul, Andrey, de 40 anos, é o novo auxiliar técnico da seleção brasileira - ou assistente, como prefere a CBF. Exigência de Dunga, que confia e aposta firmemente em seu trabalho. E olha que o desconfiado Dunga mal sabia quem era Andrey até o início de 2013, quando aceitou o convite para treinar o Internacional. Precisava montar a comissão técnica e ouviu o conselho do preparador físico Paulo Paixão. “O Paixão indicou o Andrey. Disse que o Dunga não iria se arrepender. E, de fato, o guri é muito bom", contou o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto. Paixão, recentemente demitido da seleção brasileira, na realidade deu o aval para que Dunga aceitasse o auxiliar. Na época, Andrey estava nas divisões de base do Internacional, a diretoria queria promovê-lo e apresentou seu nome ao treinador. O preparador físico havia trabalhado com Andrey em 2010 no Grêmio e garantiu se tratar de um profissional bastante competente. Dunga confiou. Até então Andrey Lopes tinha a carreira basicamente ligada às divisões de base dos rivais gaúchos. Trabalhou em todas as categorias. No Internacional, esteve inicialmente de 1995 a 2005. Ganhou inúmeros títulos no infantil. No Grêmio, entre 2007 e 2011 teve, entre outras conquistas, dois brasileiros sub-20. Também passou por outros dois times gaúchos de menor expressão - Ulbra e Cerâmica. Em 2010, teve uma experiência no time principal do Grêmio como auxiliar de Renato Gaúcho - antes da chegada do treinador, dirigiu o time de maneira interina. Foi lá que Paixão o conheceu. Trabalhador ativo. Andrey é definido como um auxiliar técnico bastante participativo. Sempre é um dos primeiros a entrar em campo e muitas vezes assume a tarefa de comandar o treinamento. Tem especial predileção por treinos específicos, com os de posicionamento dos zagueiros, lances de bola parada e saídas rápidas ao ataque. Com Dunga, o relacionamento é leve. “O Andrey brinca com ele e o Dunga aceita numa boa. Muitas vezes os dois dão boas gargalhadas. Ele tem liberdade com o Dunga", garantiu um jornalista gaúcho que acompanhou a dupla no Internacional. Por seu trabalho nas categorias de base, Andrey Lopes é considerado um bom revelador de jogadores. Ele comandou nos juvenis ou nos juniores atletas como Rafael Sóbis, o volante Fernando e o meia Douglas Costa, além de Yuri Mamute e Matheus Biteco, na última terça chamados pelo técnico Alexandre Gallo para a seleção sub-20 para um torneio na Espanha.

Leia tudo sobre: CebolaAndreyCopa do Mundoseleção brasileirabrasilesportesdungaDunga