Levir confessa que esperava mais facilidade para derrotar o Lanús

Técnico do Galo exaltou força da torcida no Mineirão, e fica intrigado com os argentinos, que reagiram e depois entregaram o ouro

iG Minas Gerais | RÔMULO ABREU |

Se dependesse do técnico Levir Culpi, Ronaldinho só estaria em campo após melhorar a sua forma física
Atlético/Divulgação
Se dependesse do técnico Levir Culpi, Ronaldinho só estaria em campo após melhorar a sua forma física

Aliviado depois das fortes emoções vividas na noite dessa quarta-feira, na final eletrizante da Recopa Sul-Americana, o técnico Levir Culpi confessou que esperava que o título viesse de forma mais tranquila e teve dificuldades para analisar a virada do Galo na prorrogação.

Levir ponderou que o Atlético conseguiu ser melhor jogando sob pressão da torcida adversária, na semana passada, quando venceu por a 1 a 0 em Buenos Aires, e se mostrou pasmo pelo fato de que o Lanús teve poder de reação ao marcar um gol no último minuto do jogo, levando a final para a prorrogação, mas, depois entregou o ouro.

“Eu confesso que fiquei um pouco surpreso, porque, numa atmosfera muito mais difícil, jogamos melhores que eles lá (na Argentina). É difícil de explicar, eles fizeram um gol aos 48 minutos e depois fizeram dois para nós. Os times argentinos são sempre aguerridos, por isso é bom ganhar deles, porque nunca é fácil”, disse, exaltando o controle emocional dos jogadores do Galo e atribuindo a conquista à intervenção divina, já que os dois gols feitos na prorrogação foram contra.

“Tenho que parabenizar os jogadores, porque a parte psicológica do jogo, saímos derrotados nos 90 minutos e na prorrogação eles (Lanús) fizeram dois gols para nós. É difícil de analisar. É coisa de Deus”, completou.

Reconhecendo que o time alvinegro oscilou durante vários momentos do jogo, tanto que teve que contar com falhas cruciais do adversário para vencer, Levir Culpi exaltou o papel da Massa atleticana, que carregou a equipe nas costas nos momentos difíceis e injetou ânimo nos jogadores.

“Eu não esperava tanta dificuldade. Esperava um jogo difícil, mas eles jogaram muito melhor do que lá (em Buenos Aires). A torcida do Atlético deu uma força, porque o time não estava tão legal e eles jogaram o time para cima. Temos que comemorar, porque se perde a taça, aí é que se vê a importância do torneio”, concluiu.

Leia tudo sobre: atleticogalolevir culpirecopacampeaolanustorcida.