Polícia Civil faz reconstituição do homicídio de idoso de 73 anos

Idoso foi morto durante uma tentativa de assalto em sua casa, planejada por uma garota de programa com quem se relacionava há cerca de 1 ano

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Reconstituição aconteceu nesta terça-feira (22)
Polícia Civil/Divulgação
Reconstituição aconteceu nesta terça-feira (22)

Após fazer a reconstituição do assassinato de um idoso de 73 anos, em Santo Antônio do Monte, na região Centro-Oeste do Estado, a Polícia Civil da cidade concluiu que a garota de programa que "namorava" o senhor há cerca de um ano foi a autora do disparo que o matou. A jovem de 18 anos, que é mãe de dois meninos de 1 e 2 anos, pretendia roubar R$ 14 mil vistos na casa e acabou atirando após o idoso reconhecê-la pela voz. O aposentado foi morto segurando uma imagem de um anjo e uma foto da assassina nas mãos.

Segundo as informações do delegado Rodrigo Noronha, responsável pela apuração do caso, o crime aconteceu no dia 4 de junho, sendo que o corpo do idoso só foi encontrado por familiares no dia seguinte. "Eles foi encontrado com as mãos amarradas e segurado uma imagem de um anjo e uma foto de uma mulher que seria sua namorada. Ninguém viu nada suspeito, pois era um local muito isolado", explicou o policial.

Sem informações, a polícia começou a levantar informações sobre a namorada, Mariana Cristina Duarte, de 18 anos, que havia viajado repentinamente para o interior de São Paulo para vender rifas, no dia em que o corpo foi encontrado. "Após intimá-la, tanto ela quanto o seu comparsa,  Rodrigo Daniel Gonçalves, de 33, confessaram o envolvimento no homicídio", lembrou o delegado.

Na manhã de terça-feira (22), a reconstituição foi feita para detalhar todos os passos da dupla desde o planejamento do crime. Sempre que o idoso queria se encontrar com a jovem, ele mandava um moto-taxista buscá-la em sua cidade, Lagoa da Prata, que fica a 30 quilômetros do sítio. "Três dias antes do fato, ela foi até a casa e viu ele contando o valor de R$ 4 mil. Enquanto ela estava na casa ele ainda mostrou outros R$ 10 mil e brincou dizendo que não podia ter mostrado aquilo pois ela poderia mandar alguém matá-lo para roubar", detalhou o delegado.

O dia do crime

Assim que retornou para sua casa, Mariana procurou Gonçalves, que já passou oito anos preso por furto, roubo e receptação, para acompanhá-la no crime. No dia anterior, os suspeitos foram até o sítio e ficaram perdidos na ida, porém, na volta marcaram com sacos plásticos o melhor caminho para a fuga. "Na reconstituição eles mostraram que chegaram ao sítio com a moto desligada, taparam os rostos e chegaram até a jogar um pedaço de carne para despistar o cachorro. Eles planejaram tudo, só não contavam que a família iria lá no mesmo dia e levaria todo o dinheiro para a cidade", disse Noronha.

Após render o idoso e amarrá-lo, Gonçalves começou a procurar pelo dinheiro em toda a casa, com Mariana apontando uma espingarda calibre 12 para o idoso, sem falar uma palavra para não ser reconhecida. "Após constatarem que não tinha nada, o comparsa dela saiu para buscar a moto, que foi estacionada um pouco longe. Enquanto ele caminhava em direção, ao veículo, Maria o chamou e imediatamente foi reconhecida pelo aposentado. 

"Ele disse 'Mariana, é você? Porque está fazendo isso comigo? Eu gosto tanto de você', nas palavras da própria suspeita, que apenas mandava que ele ficasse quieto", contou o policial. Foi então que o senhor se movimentou para trás e Mariana acabou efetuando o disparo em suas costas. Durante a reconstituição, a suspeita ainda afirmou que também caiu com o impacto da arma e imediatamente começou a chorar junto ao corpo. 

Conforme o delegado Noronha, o relacionamento da jovem com o idoso era de conhecimento da família, sendo que a vítima chegou a levá-la em uma viagem à cidade de Aparecida do Norte, em São Paulo. A dupla foi indiciada por latrocínio e pode pegar de 20 a 30 anos de prisão além de multa.