Chefe de direitos humanos da ONU fala em crimes de guerra de Israel

"Existe uma alta possibilidade de que o direito humanitário internacional tenha sido violado, o que pode constituir crimes de guerra", disse Navi Pillay

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Martial Trezzini/AP
undefined

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, pediu nesta quarta-feira (23) uma investigação sobre os possíveis crimes de guerra cometidos por Israel em Gaza e denunciou os ataques indiscriminados do movimento islamita Hamas contra zonas civis.

"Existe uma alta possibilidade de que o direito humanitário internacional tenha sido violado, o que pode constituir crimes de guerra", disse Pillay. Também denunciou que, "mais uma vez, os princípios de diferenciação e de precaução não foram respeitados claramente nos ataques indiscriminados cometidos contra zonas civis pelo Hamas e por outros grupos palestinos armados".

Abrindo um encontro de emergência no Conselho de Direitos Humanos da ONU em Genebra, Pillay citou ataques aéreos israelenses e bombardeios atingindo casas e hospitais em Gaza.

"Estes são apenas alguns exemplos em que parece haver uma forte possibilidade de que o direito internacional humanitário tenha sido violado, o que pode configurar um crime de guerra", disse.

O Conselho de Direitos Humanos convocou a sessão especial de um dia a pedido dos palestinos, Egito e Paquistão.

Israel, que acusa o Conselho de ser parcial, boicotou o fórum de Genebra por 20 meses, retomando a cooperação em outubro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave